Um dos brasileiros que entrou no Suriname ilegalmente no último sábado, dia 16, testou positivo para a Covid-19, segundo informou na manhã desta segunda-feira (18) o Ministério da Saúde. Ao todo, dez pessoas foram presas na base naval de Nieuw Amsterdam quando tentavam entrar no país sem os devidos procedimentos de imigração.

De acordo com Cleopatra Jessurun, diretora de saúde do Ministério, o brasileiro infectado foi isolado. As autoridades investigam com quem ele manteve contato nos últimos dias e por quais lugares esteve. Esse mapeamento ajudará a detectar possíveis novos casos. Os outros nove estão em quarentena sendo monitorados por técnicos de saúde.

Publicidade

Rota ilegal

Na última quarta-feira, dia 16, representantes do governo do Suriname informaram a existência de uma nova rota ilegal de brasileiros, que estariam fugindo do país vizinho, sobretudo da cidade de Belém, por conta do avanço da Covid-19. Um grupo, segundo Jerry Slijngaard, que gerencia o vírus em Paramaribo, já está preso e cumpre quarentena.

Ainda de acordo com Slijngaard, o esquema funciona da seguinte forma: os brasileiros deixam o país em embarcações de pequeno e médio porte e, já no território do Suriname, são atravessados para barcos de pesca, que os deixam na cidade. “Os barcos levam as pessoas a determinados locais de desembarque”, disse Slijngaard.

País estava zerado

Desde o final de março, o Suriname não registrava mais casos positivos da Covid-19. Do total de dez pessoas infectadas, o governo havia informado a recuperação de nove e o óbito de apenas um paciente. O brasileiro pego no último sábado, dia 16, reabre o contador no país e acendeu o sinal de alerta para as autoridades de saúde e segurança.

O representante do governo revela que as operações de combate e monitoramento dessas pessoas ilegais no Suriname tem custo elevado. “Tem um custo de muito dinheiro para se envolver na busca de pessoas que entram no país ilegalmente. Quando são presos, ficam em quarentena no governo”, explicou Jerry, na última semana.

Ele observa que os estrangeiros pegos ilegalmente no Suriname acabam “desfrutando” da quarentena custeada pelo governo, “onde são bem tratados”, revela. “Entre as pessoas em isolamento existem mais de 100 que são estrangeiros ilegais. As salas de quarentena são originalmente destinadas a repatriados”, concluiu.

Foto: LPM News

Deixe seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar