Na última sexta-feira, 29 de janeiro, a escola ”O.S. Tourtonne 3” em Paramaribo, foi palco de mais uma agressão contra uma criança brasileira.

Desta vez a vítima foi o menor Artur R. Rocha dos Santos, de 6 anos de idade. Artur é aluno da 1ª série da escola e foi agredido por um aluno surinamês que faz parte da mesma turma que a vítima.

Publicidade

Segundo a mãe de Artur, a sra. R. da Silva, o incidente aconteceu pela parte da manhã por volta das 8:30 hs, mesmo horário em que ela foi avisada pela responsável do ônibus escolar, que seu filho havia sido levado para receber atendimento de emergência no hospital.  A mãe de Artur relatou a reportagem da LPM NEWS que seu filho foi agredido pelo colega de turma, porque saiu em defesa de uma colega que estava sendo ofendida pelo agressor. Foi quando o garoto surinamês conhecido como “Ismael” atacou Artur com uma carteira escolar provocando um corte no queixo da vítima que levou dois pontos.

“Ao ver meu filho com aquele ferimento no queixo fiquei indignada e disse para a diretora da escola que ela precisava tomar uma providência para disciplinar o garoto surinamês que fez isso com o meu filho. A diretora da escola falou que não podia fazer nada, porque o garoto surinamês que agrediu meu filho, deu um número de telefone falso e a diretora não conseguiu falar com os pais dele”. Disse a mãe de Artur.

A sra. Ruthe disse que registrou ocorrência na polícia e que foi instruída a aguardar uma resposta referente a investigação deste caso.

A escola ”O.S. Tourtonne 3” possui um histórico de problemas envolvendo crianças brasileiras. Somente no ano passado o portal de noticias da LPM NEWS publicou duas noticias envolvendo crianças brasileiras nesta escola e agora mais um caso em 2015. No dia 19 de novembro de 2014, a brasileira, menor de idade, Jocimayra O. M, de 15 anos de idade, foi agredida e insultada por uma professora surinamesa na escola “O.S Tourtonne 3″ e no dia 10 de dezembro de 2014, uma criança de 5 anos de idade, desapareceu da escola deixando os responsáveis pela criança revoltados com a falta de organização e segurança da escola. Em todos os casos foram registradas ocorrências na polícia, mas até agora nenhuma providência foi tomada contra a direção da escola para evitar este tipo de incidente que fere os direitos dos brasileiros neste país.

Leia também:

 

Deixe seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar