Na última quarta-feira, 19 de novembro, a brasileira, menor de idade, Jocimayra O. M, de 15 anos de idade, foi agredida e insultada por uma professora surinamesa na escola “O.S Tourtonne 3” em Paramaribo.  

A mãe da adolescente agredida, sra. Jocilena C. Oliveira, procurou a redação do LPM NEWS para denunciar a agressão. Segunda a mãe da adolescente, sua filha foi agredida e insultada pela professora na última quarta-feira, 19 de novembro, por volta das 10:00 hs da manhã na escola onde a adolescente estuda.

Publicidade

A sra. Jocilena contou que a agressão aconteceu quando sua filha saiu da fila para ir ao banheiro e quando a adolescente voltou, ela foi deixar o celular pro seu irmão na sala de aula, e não gostando da presença da aluna na sala de aula, a adolescente foi insultada pela professora que a ofendeu dizendo: “Sua brasileira vagabunda, toda brasileira é prostituta. Eu vou dar um tapa na tua cara”.  Em resposta a ameaça da professora a adolescente respondeu: “Se você me bater eu vou te denunciar. A professora acrescentou: “pode denunciar porque aqui brasileiro não tem direito a nada”!

A professora que ameaçou Jocimayra é professora do irmão da adolescente que foi ameaçado também de ser expulso da escola por ser irmão de Jocimayra. Ao entrar na sala de aula para conversar com a professora na tentativa de defender o irmão, Jocimayra foi agredida pela professora com um tapa no rosto que deixou lesões no pescoço da adolescente.

Quando a mãe da adolescente foi até a escola para saber o que havia acontecido foi tratada com descaso pela professora que disse que no Suriname “brasileiro é tratado como cachorro”. Após sair da escola a mãe e a adolescente agredida procuraram a embaixada brasileira no Suriname que as encaminhou para o “inspectieschool” onde foram ouvidas e registraram uma ocorrência.

O órgão do governo responsável pela fiscalização nas escolas prometeu apurar os fatos e punir a professora agressora.

Se você é brasileiro(a) e seu filho(a) já foi agredido em alguma escola do Suriname, denuncie á policia ou entre em contato com a redação do jornal LPM NEWS. Se você esta legal no país, você deve procurar os seus direitos.

Deixe seu comentário abaixo.

 

Comentar

Comentar