spot_img
spot_img

Polícia do Suriname revela detalhe da prisão de brasileiros acusados de crimes no “Goianol” e no “Ronaldo”

A busca subsequente no barco e nos suspeitos revelou uma série de evidências incriminadoras

Atualizado há

PARAMARIBO – No sábado, 20 de abril de 2024, soldados na área de Lawa agiram rapidamente em resposta a uma denúncia de tiroteio entre um grupo de brasileiros armados de origem brasileira e forças militares. Os relatórios indicam que os suspeitos abriram fogo de um barco à vela contra os soldados, desencadeando um confronto tenso. A polícia de Lawa foi alertada por volta das 20h15 sobre a troca de tiros, desencadeando uma operação de resposta imediata.

Ao chegar à cena, as autoridades confrontaram a situação desafiadora de um barco em fuga, impulsionado pela velocidade dos suspeitos de evitar a captura. Dois dos indivíduos, identificados como J.D. (35) e J.D. (41), optaram por uma fuga arriscada, pulando no rio em um esforço desesperado para escapar das autoridades. No entanto, sua tentativa de evasão foi em vão, pois foram prontamente detidos pelos soldados que estavam em perseguição.

Enquanto isso, o terceiro suspeito, A.D. (38), foi capturado de maneira estratégica pelos militares, seguindo cuidadosamente as instruções recebidas. Esta operação coordenada resultou na detenção bem-sucedida do terceiro membro da quadrilha, aumentando a eficácia das ações das forças de segurança.

- Publicidade -

A busca subsequente no barco e nos suspeitos revelou uma série de evidências incriminadoras. Telefones celulares, tablets, munições reais e cartuchos de projéteis foram apreendidos, fornecendo à polícia pistas cruciais sobre as atividades criminosas da quadrilha. As suspeitas de envolvimento em vários roubos no sertão foram reforçadas pela descoberta desses itens.

Após a prisão, os três suspeitos foram transferidos de Lawa para o Departamento de Investigação Criminal da região Leste na segunda-feira, 22 de abril de 2024. A transferência foi realizada em conformidade com os procedimentos legais e visava facilitar uma investigação abrangente sobre as atividades da quadrilha.

Comentar

Comentar

spot_img
spot_img
spot_img
spot_img
spot_img

Mais do LPM

spot_img
Custom App
Phone
Messenger
Email
WhatsApp
Messenger
WhatsApp
Phone
Email
Custom App