spot_img
spot_img

Time de futebol da Guiana investe em jogador brasileiro, e contratação atrai atenção do público

Desde sua transição para o profissionalismo em 2018/2019, Gabriel Tizeu tem deixado sua marca por onde passa

Atualizado há

GEORGETOWN – Em uma jornada que mistura talento, determinação e uma busca incansável por novos desafios, o jovem meia Gabriel Tizeu, de 24 anos, natural de Jaú, São Paulo, Brasil, aterrizou no futebol inusitado da Guiana. Com passagens por clubes como Goiânia, XV de Jaú e Rio Branco-ES, o jogador agora escreve um novo capítulo em sua carreira como membro do Slingerz FC.

Desde sua transição para o profissionalismo em 2018/2019, Gabriel Tizeu tem deixado sua marca por onde passa. “Meus melhores anos como jogador profissional foram em 2021 e 2023, fazendo gols e dando assistências importantes para ajudar minhas equipes”, comenta o jogador. Seu talento e habilidade não passaram despercebidos, levando-o a receber propostas e oportunidades em terras estrangeiras.

Gabriel compartilha sobre sua chegada ao Slingerz FC: “Cheguei ao Slingerz por intermediação de empresários que gostaram do meu futebol, e como eu já tinha essa vontade de jogar fora do Brasil, aceitei a proposta e quis conhecer o clube, o campeonato”. Sua presença no futebol guianense não só amplia seu próprio horizonte como jogador, mas também faz ecoar um impacto significativo no cenário futebolístico do país.

- Publicidade -

Gabriel Tizeu

“O impacto que causa para o futebol do país é muito grande, como não tem muito brasileiro no futebol da Guiana, as pessoas quando ficam sabendo que veio brasileiro pra cá, ficam muito contentes e querendo ver os jogos”, compartilha Gabriel. Sua chegada não só aumenta a competitividade do campeonato local, mas também atrai a atenção e o entusiasmo dos torcedores locais.

Apesar de sua jornada profissional ter ganhado destaque recentemente, Gabriel Tizeu não esquece suas raízes e o caminho percorrido desde a base. “Além do futebol profissional, fiz toda minha base no futebol paulista (sub 11, 15, 17 e 20)”, enfatiza o jogador, destacando a importância de sua formação no Brasil para sua trajetória até aqui.

Comentar

Comentar

spot_img
spot_img
spot_img
spot_img
spot_img

Mais do LPM

spot_img
Custom App
Phone
Messenger
Email
WhatsApp
Messenger
WhatsApp
Phone
Email
Custom App