O ministro da saúde do Suriname, Amar Ramadhin, não descartou um bloqueio total ou de final de semana. Durante a coletiva de imprensa da Covid-19, ele deixou claro que a transmissão do vírus não apresenta tendência de queda no país e, por isso, o cenário pode ficar ainda mais delicado.

Amar Ramadhin — Foto: Luiz Paulo

 

Publicidade

O ministro indica que é necessário “uma preparação minuciosa e que o governo está a trabalhar em conjunto, juntamente com a comunidade empresarial, para se preparar para um possível bloqueio. A tendência em relação às infecções determinará a introdução de um lockdown”, adiantou.

Os bloqueios totais do fim de semana anunciados durante a onda anterior resultaram em um efeito favorável, o que tem motivado a possibilidade de retomada da medida. “Se a curva epidemiológica não diminuir, se entre 80 e 100 casos continuarem ocorrendo diariamente, a pressão sobre nosso sistema de saúde aumentará”, disse.

Atualmente a taxa de ocupação em hospitais e Unidades de Terapia Intensiva (UTI) está no máximo desde o início da segunda onda. As instalações de isolamento em Wanica e Residence Inn também estão sob pressão. “Além disso, existe o risco de que, com eventos adicionais de disseminação em massa, o número de casos possa aumentar”.

Comentar

Comentar