Suriname, Trinidad & Tobago e Domínica participam de pesquisa para o desenvolvimento da indústria da mandioca no Caribe.

As informações sobre a pesquisa foram divulgadas pelo Instituto Nacional de Informação (NII) na quinta-feira, 29 de março.

Publicidade

De acordo com informações do NII, o Suriname já exporta produtos á base de mandioca em uma escala modesta. Em novembro de 2017, foram ministrados treinamentos com alguns padeiros, que aprenderam a fazer pão com base em 40% de farinha de mandioca resultando em um negócio promissor.

O Caribbean Development Bank (CDB) liberou mais de 1,2 milhão de dólares para esta pesquisa e a Organização Mundial de Alimentação e Agricultura (FAO) coordenará o projeto que será implementado em cooperação com o Suriname, Trinidad & Tobago e Domínica. Nesse contexto, o Suriname assinou uma Carta de Acordo (LoA) com a FAO em fevereiro deste ano visando tornar o uso sustentável da mandioca como parte da segurança alimentar e o desenvolvimento da indústria da mandioca no país.

Como parte do projeto de pesquisa, estudos e avaliações serão feitas com relação à melhoria das variedades e tecnologias de plantio da mandioca o que deve ajudar a aumentar a produtividade e reduzir os custos de produção da mandioca, a fim de melhorar a competitividade do setor. A projeto de pesquisa também inclui uma pesquisa de mercado para determinar a demanda por produtos á base de mandioca, como pão e farinha de mandioca.

Dentro do mesmo projeto, as padarias serão encorajadas a usar farinha de mandioca para fazer pão substituindo parcialmente a farinha de trigo importada levando em consideração que o pão produzido utilizando-se 40% de farinha de mandioca apresentou um resultado promissor.

Foto: NII

Deixe seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar