Apesar do tempo chuvoso em Teresópolis (RJ), torcida estava animada. O motivo foi a chegada de Neymar, que participou de entrevista coletiva.

A Seleção Brasileira recebeu uma visita para levantar o moral. Neymar voltou a Teresópolis (RJ) e vai à Brasília assistir à disputa do terceiro lugar, no sábado (12), contra a Holanda.

Publicidade

Nem parecia o primeiro treino do time depois da goleada sofrida para a Alemanha. Quem esperava a definição do time, teve de se contentar com o bate-bola e as corridinhas que dominaram toda a preparação da Seleção Brasileira para a Copa do Mundo.

Quando o trabalho estava mais ou menos na metade do trabalho o treino,. ele foi interrompido por causa de uma visita ilustre: a de Neymar, que veio para ficar definitivamente com o grupo até o jogo de sábado (12) em Brasília.

Neymar apareceu para a entrevista com uma camisa autografada por todos os companheiros. Mesmo não tendo jogado contra a Alemanha, ele se incluiu no fracasso.

“Eu não tenho vergonha de ser brasileiro e nem de fazer parte desta equipe que perdeu de 7 a 1. Não tenho vergonha nenhuma”, diz o jogador.

Ele revelou que, na decisão de domingo, vai torcer por um argentino, companheiro de Barcelona e fora de série como ele: o Messi. “Pela história que o Messi, de ter conquistado muita coisa, quase tudo na sua carreira. Eu acho que ele merece ser campeão. Eu desejo muita sorte”, admite Neymar.

O craque se emocionou ao lembrar o lance em que fraturou a vértebra, que lhe fez deixar o Mundial e não poupou o colombiano Zuñiga. “Da forma que ele veio e da forma que a bola estava chegando, foi uma entrada que não é de situação de jogo. Não tem como. Se fossem dois centímetros para dentro, hoje eu poderia estar em uma cadeira de rodas”, diz Neymar com lágrimas nos olhos.

No sábado (12), Neymar não vai cantar o hino dentro de campo, mas pretende acompanhar o jogo do banco de reservas. “Nós começamos juntos e nós vamos terminar juntos”, pontua.

Deixe seu comentário abaixo.

Fonte: Globo Esporte

Comentar

Comentar