Aconteceu nesta terça-feira, 05 de agosto, um encontro entre a representante da IOM, sra. Mariecke Heemskerk e o Conselheiro Representante de Brasileiros no Exterior (CRBE), sr. Jose Paulo Ribeiro.

O objetivo deste encontro foi colher informações a respeito da movimentação imigratória em geral de brasileiros no Suriname, bem como, levantar dados sobre a atividade profissional e turística.

Publicidade

O sr. Jose Paulo Ribeiro, que é diretor/presidente da Fundação BRASUR, utilizando de suas experiências com brasileiros no garimpo e conhecimentos adquiridos a frente de sua fundação atendeu as perguntas feitas pela representante da IOM:

  • Quantos brasileiros existem atualmente no Suriname?

Estima-se que haja aproximadamente 22.000 brasileiros no Suriname, incluindo aqueles que estão no garimpo e na cidade. Respondeu o sr. Jose Paulo Ribeiro.

  • Como a fundação Brasur ajuda os brasileiros no Suriname?

A Fundação Brasur ajuda os brasileiros intermediando em questões de regularizações migratórias, dando informações referentes a internações hospitalares, orientando quando o doente não tem condições financeiras para custear suas despesas com o hospital, ajuda também quando o brasileiro tem problemas com a polícia e em casos de transladação de corpos, sendo que, esta decisão cabe ser tomada em conjunto com os familiares do Brasil. A Brasur tem se esforçado para continuar servindo, porque a Fundação sendo pessoa jurídica serve como base de confiança junto aos órgãos públicos no Suriname.

  • O que o Sr. diz a respeito do tráfico humano envolvendo brasileiros no Suriname?

Em outras épocas as brasileiras (os) vieram para o Suriname em outro contexto de trabalho, ouve-se que havia trabalho análogo a escravidão, algumas pessoas foram enganadas, casos pontuais. Em contrapartida acredito que hoje muitos brasileiros incluindo homens e mulheres não chegam mais ao Suriname como vítimas do tráfico humanos e sim conscientes de que atividades vão trabalhar, inclusive em clubes noturnos para adultos (prostituição). Posteriormente, aqueles que já se encontram aqui, são aliciados para praticas dessas mesmas atividades na Europa e em outros continentes mundo afora. Suriname é um País transcultural e, portanto, também é opção transitória. Nesse sentido a sedução para outros países se torna intensa não faltando aliciadores para o transporte de drogas seguindo as mesmas rotas, mas, todos sabendo que estão correndo um grave risco.

  • Porque muitos brasileiros permanecem na ilegalidade?

Há três fatores envolvidos: O primeiro é a questão do tempo. Muitos brasileiros deixam a questão da regularização para última hora, devido os problemas com maquinários no garimpo. O segundo ponto é a questão financeira porque muitos querem a regularização mas, não tem condições financeiras devido a crise que ocorre nos garimpos. E a última questão, eu aponto como a mais grave de todas, que é a falta de interesse. Concluiu o sr. Jose Paulo Ribeiro.

“Como ponto positivo deste encontro, podemos concluir que há uma preocupação crescente com a questão dos estrangeiros no Suriname e isto pode trazer benefícios para a comunidade brasileira no pais”. Enfatizou a reportagem da LPM News que esteve presente neste encontro na pessoa do repórter Luiz Paulo Oliveira.

Deixe seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar