spot_img
spot_img

RAVAKSUR diz que governo do Suriname está tentando agradar o FMI

Atualizado há

O Conselho de Sindicatos do Suriname (RAVAKSUR) diz que o aumento de preço dos combustíveis foi uma exigência do Fundo Monetário Internacional (FMI).

RAVAKSUR no sábado (1) deixou claro para a delegação do governo, que o aumento dos preços dos combustíveis deve ser revertido.

- Publicidade -
Ferdinand Welzijn – Ministério Comércio, Indústria e Turismo (HI) (Foto: Luiz Paulo)

O ministro d Comércio, Indústria e Turismo, Ferdinand Welzijn em resposta a afirmação do RAVAKSUR nesta segunda-feira, 3 de março, disse que o aumento no preço dos combustíveis não tem nada a ver com o FMI. Os sindicatos acusam o governo de decretar o recente aumento para o preço dos combustíveis sem consultar os trabalhadores e os empresários.

De acordo com o RAVAKSUR, o governo está trabalhando para cumprir a decisão do Fundo Monetário Internacional (FMI) que determinou o aumento para o preço dos combustíveis enquanto o governo sustenta que o aumento foi necessário para custear o aumento dos salários dos professores e funcionários públicos.

“Eu sou o mensageiro de más notícias. Ninguém quer ser confrontado com mais gastos. O governo nos últimos anos tem subsidiado o combustível e não é justo que aqueles que podem pagar continuem sendo subsidiados pelo governo” salientou o ministro Ferdinand Welzijn.

Esta medida não tem nada a ver com o FMI, disse o ministro Ferdinand Welzijn que explicou que não foi possível o governo ouvir todas as partes interessadas antes de decidir pelo aumento no preço dos combustíveis.

Deixe seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar

spot_img
spot_img
spot_img
spot_img
spot_img

Mais do LPM

spot_img
Custom App
Phone
Messenger
Email
WhatsApp
Messenger
WhatsApp
Phone
Email
Custom App