spot_img
spot_img

Polícia desmonta ponto de tráfico de drogas e prende suspeitos

Esse ponto de acordo, que por vários anos foi palco de eventos violentos, incluindo ajustes de contas entre criminosos, tornou-se alvo de várias operações judiciais ao longo de 2023

Atualizado há

MATOURY – Na semana de 4 de dezembro de 2023, uma operação conjunta liderada pela empresa de gendarmerie Matoury, com o apoio de reforços locais e do Grupo Antenna d’Intervention da Guiana (#AGIGN), resultou no desmantelamento de um ponto de acordo em Rémire-Montjoly. A ação policial resultou na apreensão de estupefacientes e de uma arma em uma rotunda na D2 local.

Esse ponto de acordo, que por vários anos foi palco de eventos violentos, incluindo ajustes de contas entre criminosos, tornou-se alvo de várias operações judiciais ao longo de 2023. As ações conduzidas pela empresa de gendarmerie Matoury, em colaboração com a Brigada Territorial Autónoma (#BTA) de Rémire-Montjoly, culminaram na detenção de traficantes, alguns dos quais foram levados à justiça e agora permanecem presos.

As operações diárias da empresa Matoury, aliadas a uma investigação minuciosa realizada pela BTA de Rémire-Montjoly, identificaram os principais atores envolvidos nesse ponto de negócio ilícito.

- Publicidade -

Em 28 de novembro de 2023, visando interromper esse tráfico local, a empresa Matoury conduziu uma operação policial judiciária (#OPJ) para apreender os indivíduos identificados. A operação mobilizou as brigadas Rémire-Montjoly e Matoury, a brigada de pesquisa (#BR) de Matoury, o esquadrão de vigilância e intervenção (#PSIG) da empresa Matoury com sua equipe cinofila, o esquadrão de gendarmerie móvel de Bourg Saint-Andéol e a AGIGN da Guiana.

As buscas nas residências dos indivíduos detidos resultaram na materialização do tráfico, com a apreensão de narcóticos, incluindo cannabis, cocaína, crack, ecstasy, heroína, bem como uma arma e munições.

Três dos detidos foram submetidos a detenção temporária e compareceram imediatamente perante a justiça. Dois deles foram condenados a 4 anos de prisão, com 18 meses de liberdade condicional, enquanto o terceiro recebeu uma sentença de 5 anos de prisão, todos cumprindo prisão preventiva no Centro Correcional da Guiana. Os outros três aguardarão seus julgamentos no início de 2024.

Comentar

Comentar

spot_img
spot_img
spot_img
spot_img
spot_img

Mais do LPM

spot_img
Custom App
Phone
Messenger
Email
WhatsApp
Messenger
WhatsApp
Phone
Email
Custom App
%d blogueiros gostam disto: