O religioso italiano Gino Flaim deu declaração a uma emissora de TV de Trento, na Itália.

Um padre católico foi afastado do cargo nesta terça-feira por causa de uma declaração controversa: a uma emissora de TV de Trento, na Itália, o religioso Gino Flaim disse que entende a pedofilia, mas não a homossexualidade. Durante uma entrevista, o padre italiano afirmou à emissora LA7 que conhece as crianças e que, “infelizmente, algumas delas precisam de atenção que não recebem em casa. Se encontram um padre e ele cede … Isso eu entendo”.

Publicidade

Questionado se as crianças são responsáveis pelo comportamento pedófilo, o padre disse acreditar que “em grande parte, sim”.

Sobre a homossexualidade, o religioso disse tratar-se de uma doença. “Isso não surpreende, pois a igreja é uma comunidade de pecadores”. A igreja de Trento publicou um comunicado após a entrevista dizendo que a posição do religioso não representa a instituição. “Ele expressou opiniões que não representam de forma alguma a Arquidiocese de Trento ou a comunidade eclesial como um todo”, concluiu a nota.

O Conselho Europeu estima que uma em cada cinco crianças sofram abusos sexuais na região, sendo que 200 casos foram denunciados na Itália apenas no ano passado.

Deixe seu comentário abaixo.

Fonte: Veja

Comentar

Comentar