spot_img
spot_img

O amor do padre Geffison e sua saída da igreja

Atualizado há

Mal o ano de 2016 começou, a Igreja Católica no Pará enfrentou um dos maiores escândalos da sua História. O padre Geffison Silva, 32 anos, o mais carismático e querido pelos fiéis, era acusado de um dos pecados considerados mais graves para um sacerdote: manter relações com uma mulher. E ainda houve outra no passado. Uma delas até estaria grávida. E mais: o padre já teria uma filha, de 1 ano.

“O amor à carne venceu o amor à igreja”

O caso gerou comoção e muito barulho nas redes sociais. Só na página do DIÁRIO no Facebook, mais de 300 mil pessoas viram as notícias. Outras milhares comentaram, em sua grande maioria, dando apoio ao religioso. Desde então, o DIÁRIO tem tentado falar com o comando da Igreja, para saber o que, de fato, estava acontecendo ao padre que levava milhares de fiéis às missas e que emocionava a todos com suas palavras de fé e suas canções. Mas a Arquidiocese de Belém – onde Geffison trabalhava – e a Ordem dos Barnabitas – da qual ele fazia parte – nada falavam.

- Publicidade -

Tudo isso acaba de mudar. Inclusive, qualquer dúvida que ainda pudesse haver sobre o envolvimento do padre com uma mulher. Durante esta semana, três fotos comprovaram a paixão entre Geffison e sua amada. As imagens mostram o padre em cenas românticas com uma mulher, com direito a beijo na boca, carinhos e buquê de flores. Segundo uma fonte ouvida pelo DIÁRIO – e que pediu para não ser identificada -, ele já teria até se casado com a moça das fotos. A mesma fonte afirma que a mulher em questão a fotógrafa Jamile Amorin, responsável por registrar missas realizadas por Geffison – essa informação, porém, não foi confirmada pelo jornal.

Na última quinta-feira (28) – 3 meses após o início do escândalo -, o arcebispo de Belém, Dom Alberto Taveira, finalmente falou sobre o assunto. Num programa da TV Nazaré – emissora ligada à Igreja -, o religioso explicou o que estava acontecendo com Gefisson. “Quando tomou a decisão de viver com uma pessoa, ele criou uma situação que o impede de continuar exercendo o Ministério”, disse Dom Alberto. E pontuou: “O padre Geffison está suspenso do sacerdócio na nossa Arquidiocese”.

A MÃE DO PADRE

O arcebispo destacou, ainda, que, para ser oficialmente desligado ou expulso da Igreja, Geffison tem de passar pelo julgamento dos Barnabitas, ordem à qual ele pertence. Na Ordem dos Barnabitas, o superior imediato de Geffison é o padre José Ramos, que fica em Bragança. O DIÁRIO tentou falar com Ramos na última sexta-feira (29), mas a reportagem não foi recebida. Portanto, não é possível afirmar se Geffison ainda é padre ou se foi oficialmente afastado.

Até a mãe de Geffison fez declarações sobre o drama do filho. No Facebook, dona Socorro Lopes, após receber palavras de apoio de fiéis, escreveu: “Não lamentem por ele ter deixado a batina. Meu filho não foi fiel aos preceitos da igreja, como algumas pessoas não são fiéis no casamento”. Muito religiosa, dona Socorro costuma publicar mensagens católicas e fotos das missas em sua página da rede social. Sobre o filho, ela finalizou o texto com a frase: “O mais importante é seguir no amor e na caridade”.

Deixe seu comentário abaixo.

Fonte: Diário do Pará

Comentar

Comentar

spot_img
spot_img
spot_img
spot_img
spot_img

Mais do LPM

spot_img
Custom App
Phone
Messenger
Email
WhatsApp
Messenger
WhatsApp
Phone
Email
Custom App