Um uma operação recente contra tráfico de seres humanos na Nigéria, a polícia libertou 19 mulheres e quatro bebês recém-nascidos que eram mantidos em cativeiro no que eles chamam de “fábrica de bebês” na cidade de Lagos, na Africa.

PUBLICIDADE / ADVERTENTIE

De acordo com a polícia, essas mulheres foram enganadas com a promessa de empregos com o objetivo de engravidá-las e depois vender seus filhos. As autoridades informaram que as crianças seriam traficadas, mas ainda não está claro quem são os seus potenciais compradores.

Ainda segundo as autoridades, as meninas seriam vendidas por cerca de US$ 830 (R$ 3,4 mil) e os meninos por US$ 1,4 mil (R$ 5,8 mil). Durante a operação, duas mulheres que atuavam como enfermeiras foram presas. O principal suspeito ainda está foragido, mas é questão de tempo identificá-lo e localizá-lo.

Desde 2006, quando um relatório da Unesco denunciou pela primeira vez a existência de “fábricas de bebês” na Nigéria, esses centros proliferaram por todo o país, sobretudo por causa da pobreza extrema e da falta de controle das autoridades. O mesmo documento indicava que algumas vítimas se dirigiam a esses estabelecimentos de forma voluntária em busca de dinheiro.

Fonte: Dol

Deixe seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar