Imagens de câmera de segurança mostram mulher que seria Hayat Boumeddiene entrando na Turquia. De lá, ela seguiu para a Síria, informam autoridades turcas.

A mulher mais procurada pela França na atualidade aparece em um vídeo no aeroporto de Istambul, na Turquia. As imagens de câmeras de segurança divulgadas nesta segunda-feira mostram uma mulher que seria Hayat Boumeddiene passando pela imigração junto com um jovem identificado como Mehdi Sabri Belhouchine, francês de 23 anos cujo nome não foi ligado aos ataques da última semana em Paris e que não estava na lista de pessoas monitoradas pelas agências de inteligência, informou o jornal britânico The Guardian. Depois de passarem pela Turquia, os dois seguiram para a Síria, onde entraram no último dia 8, segundo autoridades turcas.

Publicidade

Hayat é mulher de Amedy Coulibaly, francês que matou uma policial e quatro reféns na capital francesa antes de ser morto pela polícia. Ele havia declarado lealdade ao Estado Islâmico, grupo terrorista que controla parte dos territórios do Iraque e da Síria.

A inteligência afirma ter acompanhado os passos da mulher enquanto ela esteve no país. O ministro de Relações Exteriores turco, Mevlut Cavusoglu, disse à agência estatal de notícias Anatólia que Hayat permaneceu num hotel de Istambul com outra pessoa antes de cruzar a fronteira síria. Ela e seu acompanhante visitaram vários locais na cidade e, no dia 4, foram para outra localidade perto da fronteira com a Síria, informou um oficial de inteligência turco.

O último sinal de seu telefone foi registrado no dia 8, na cidade de Akcakale, onde ela cruzou a fronteira, aparentemente, para o território controlado pelo grupo Estado Islâmico na Síria, revelou a fonte. As passagens aéreas da dupla, marcadas para 9 de janeiro e que a levaria de volta para Madri, não foram utilizadas.

O primeiro-ministro turco Ahmet Davutoglu tirou nesta segunda-feira qualquer responsabilidade da Turquia no trânsito da mulher, dizendo que o país não tinha sido solicitado a negar acesso a Hayat. Sem ter informações prévias da França sobre as duas pessoas, os serviços de inteligência turcos decidiram abandonar o monitoramento da dupla, que não teria entrado em contato com outras pessoas enquanto esteve em Istambul.

Cúmplices – Além da jovem, a França busca outros possíveis cúmplices dos terroristas que atacaram a sede do semanário Charlie Hebdo na última quarta-feira e de Coulibaly, que invadiu um mercado kosher e fez vários reféns na sexta-feira. A polícia francesa investiga dois casos que podem ter relação com os ataques. Em um deles, um homem de 32 anos foi baleado quando corria em Fontenay-aux-Roses, no subúrbio de Paris, na quarta-feira. A arma usada foi a mesma Tokarev encontrada no mercado kosher depois da invasão policial.

Também está sendo investigada a explosão de um carro quinta-feira em Villejuif, subúrbio ao sul de Paris. Ninguém ficou ferido. Em um vídeo divulgado na internet, Coulibaly afirma ter explodido um carro.

Deixe seu comentário abaixo.

Fonte: Veja

Comentar

Comentar