Flávia de Souza afirmou que tinha viagem marcada para Londres, mas não apresentou documentação necessária para o embarque. Dupla precisa de R$ 2 mil para sair do estado.

Amor é o que une a desempregada Flávia de Souza, de 30 anos, e o cachorro Balto, de 4 meses. Contando com a companhia um do outro, a dupla está dormindo há 3 dias no Aeroporto Internacional de Macapá Alberto Alcolumbre, após terem sido deportados da Guiana Francesa.

Publicidade

Flávia conta que veio de Brasília e pretendia chegar a Londres, na Inglaterra, onde tentaria estudar. Com pouco dinheiro, ela decidiu enfrentar a fronteira do Amapá com o território francês de forma clandestina, mas foi interceptada pela polícia francesa.

De volta à capital, a mulher, que é desempregada, não tem recursos para seguir viagem. Flávia contou que dorme nas cadeiras do aeroporto e, para se alimentar, conta com a ajuda de funcionários de lanchonetes e taxistas que atuam no local.

Depois do transtorno, Flávia quer voltar ao Rio de Janeiro, onde estava antes de viajar para Brasília e onde mora o namorado. Ela precisa de mais de R$ 2 mil para conseguir passagens em agências que aceitem o transporte aéreo de animais.

“Quando cheguei na Guiana Francesa meu dinheiro acabou. Então fiquei presa, sem como seguir em frente ou voltar para o Rio de Janeiro, após eu ter sido barrada. Por isso estou pedindo ajuda”, relatou.

A Unidade de Proteção ao Animal Costelinha (Upac) ficou sabendo do drama da dupla. Uma vaquinha virtual foi lançada para tentar arrecadar o dinheiro das passagens. Outros tipos de ajuda podem ser feitas para a mulher no próprio aeroporto.

Fonte: G1

Comentar

Comentar