O portal SITE, especializado em monitoramento de páginas ligadas a grupos extremistas, informou nesta quarta-feira (6) que um dos executores do Estado Islâmico (EI, ex-Isis) morreu.

Identificado como Akrama Adel Bin Saad al-No’mani, o jihadista apareceu nos vídeos de decapitação do refém norte-americano Peter Kassig, divulgado em novembro, e de outros 15 soldados sírios.

A notícia da morte foi compartilhada em contas no Twitter de pessoas próximas ao Estado Islâmico. Também hoje, um membro do EI anunciou que há dezenas de homens treinados e prontos para cometerem atentados nos Estados Unidos.

A informação foi divulgada pela Fox News, citando Abu Ibrahim al Amriki, um jihadista norte-americano que há anos se uniu a um grupo terrorista no Paquistão.

“De 71 soldados treinados, 23 estão prontos para missões como a do último domingo”, disse o jihadista, referindo-se ao atentado contra uma mostra de charges sobre o profeta Maomé, no Texas, que terminou com duas pessoas mortas e foi reivindicado pelo EI.

As vítimas foram os autores do ataque, Elton Simpson e Nadir Soofi. De acordo com a fonte, o grupo teria representante em cinco estados do país: Virginia, Maryland, Illinois, California e Michigan. Até o momento, o governo dos Estados Unidos não se pronunciou sobre as ameaças.

Deixe seu comentário abaixo.

Fonte: R7

Comentar

Comentar