“Eu não deveria ter sido levada porque eu sou mãe, e isso é contra as regras”, conta a jovem

A modelo britânica Chloe Ayling viveu momentos de terror no mês passado, quando foi sequestrada em Milão e mantida em cativeiro por seis dias, sob ameaça de ser vendida como escrava sexual na internet.

Publicidade

Chloe chegou a Milão no dia 10 de julho para uma suposta sessão de fotos marcada por seu agente. Quando a jovem chegou ao estúdio falso, perto da estação central de Milão, foi atacada e drogada por pelo menos dois agressores

Enquanto estava inconsciente, eles tiraram suas roupas, a algemaram nos pulsos e tornozelos e colocaram fita em sua boca.

— Uma pessoa que usava luvas pretas veio por trás e colocou uma mão no meu pescoço e uma na minha boca para me impedir de gritar. Uma segunda pessoa que usava máscara preta me deu uma injeção no meu antebraço direito. Eu acho que perdi a consciência. Quando acordei, eu estava vestindo um babydoll cor-de-rosa e meias. Eu estava dentro de um saco e só conseguia respirar por um pequeno buraco

Chloe foi levada pelo polonês Lukasz Pawel Herba, de 30 anos, e mantida em um apartamento no qual a polícia acredita que Herba vivesse com o irmão

O sequestrador, que já está preso, ameaçou vender a jovem na “dark web”, caso a família não pagasse um resgate de R$ 980 mil (US$ 300 mil). A polícia diz que a jovem não foi estuprada em cativeiro, mas Herba chegou a dizer que fez sexo com ela

Acredita-se que o suspeito tenha publicado fotos seminuas da modelo ao lado de sua idade, tamanho do vestido e etnia.

— Ele me disse que tinha feito mais de 15 milhões de euros nos últimos cinco anos. Ele me explicou que todas as meninas são vendidas para países árabes. Quando o comprador está cansado de uma garota, ele a dá a outras pessoas ou dá de comida aos tigres

Herba teria decidido liberar a modelo depois de descobrir que ela tinha um filho de dois anos, pois as regras do grupo proíbem a venda de mães. Então, ele libertou a jovem em uma das unidades do Consulado Britânico, em um comportamento considerado “anormal” pelos investigadores.

— [Herba] me disse que seu chefe estava furioso porque ele sequestrou a pessoa errada. Eu não deveria ter sido levada porque era claro, a partir da minha conta Instagram, que eu sou mãe de uma criança pequena e isso é contra as regras da organização

Em sua declaração, o modelo disse que havia pelo menos cinco sequestradores, incluindo Herba, que confessou o crime. No entanto, ele afirma ter sido coagido por um grupo de romenos que vivem em Birmingham, na Inglaterra.

Herba também afirma que está sofrendo de leucemia

Fonte: R7

Comentar

Comentar