spot_img
spot_img

Mistério e dor: Corpo de jovem é encontrado com a pele do rosto, couro cabeludo e olhos arrancados

Veja o que se sabe sobre o crime

Atualizado há

TURIAÇU – No último domingo (10), a tranquila cidade de Maranhãozinho, a 232 km de São Luís, foi palco de um crime brutal que chocou a população. Ana Caroline Sousa Câmpelo, uma jovem de 21 anos, foi encontrada morta no Bairro Novo com requintes de crueldade, despertando consternação e indignação na região do Alto Turiaçu. A Superintendência de Polícia Civil do Interior (SPCI) está à frente das investigações.

Quem era Ana Caroline?

Natural de Centro do Guilherme, a 283 km de São Luís, Ana Caroline havia se mudado recentemente para Maranhãozinho. Trabalhava em uma conveniência de um posto de combustível e sonhava em ingressar no Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBMMA).

- Publicidade -

O Desaparecimento e a Descoberta Macabra

Ana Caroline desapareceu por volta de 1h30 do domingo, após sair do trabalho. Seu tio comunicou seu desaparecimento à Polícia Militar, indicando que encontrara sua bicicleta e celular próximos à casa onde vivia. O corpo da jovem foi encontrado nas primeiras horas da manhã em uma estrada vicinal que dá acesso ao povoado Cachimbós, em Maranhãozinho.

Crueldade e Testemunhas Impactadas

A Polícia Militar revelou que a jovem teve a pele do rosto, couro cabeludo, olhos e orelhas retirados, indicando a brutalidade do assassinato. Uma vizinha relatou ter visto Ana Caroline com um homem antes do desaparecimento, descrevendo uma cena de choro envolvendo uma mulher e um homem em uma motocicleta, este último usando uma camisa branca.

Investigação em Curso e Linha de Suspeitas

Até o momento, a Polícia Civil do Maranhão não identificou suspeitos do crime. Testemunhas foram ouvidas, mas nenhuma linha de investigação foi confirmada oficialmente. Familiares e amigos levantaram a hipótese de homofobia, mas a polícia não corroborou essa teoria.

Último Adeus e Pedido de Justiça

O corpo de Ana Caroline foi velado e sepultado em Centro do Guilherme, sua cidade natal, nesta quarta-feira (12). O trajeto para o sepultamento foi marcado por um protesto de familiares que exigiam justiça. Carmelita da Silva Sousa, mãe da vítima, emocionalmente abalada, descreveu a filha como uma “menina meiga” e pediu justiça pelo trágico acontecimento.

O assassinato de Ana Caroline Sousa Câmpelo permanece como um enigma em Maranhãozinho, com a comunidade local buscando respostas e clamando por uma investigação minuciosa que leve à identificação e punição dos responsáveis por esse ato de extrema crueldade.

Foto: Reprodução

Comentar

Comentar

spot_img
spot_img
spot_img
spot_img
spot_img

Mais do LPM

spot_img
Custom App
Phone
Messenger
Email
WhatsApp
Messenger
WhatsApp
Phone
Email
Custom App