O Ministro dos Assuntos Sociais e Habitação, André Misiekaba, fará tudo o que estiver ao seu alcance para criar um fundo preventivo permanente para poder prestar assistência imediata em casos de emergência. Ele falou sobre isso em uma coletiva de imprensa. Ele argumentou que o governo forneceu ajuda imediata após a notícia dos recentes incêndios em que cinco crianças perderam a vida.

Ele apontou que primeiramente, a assistência especializada foi fornecida por um psicólogo, psiquiatra e clínico geral para os afetados, incluindo os colegas de classe dos alunos falecidos. Essa orientação continua. Em um segundo momento o Presidente Desiré Bouterse fez pessoalmente uma contribuição financeira às famílias, para que possam comprar os bens necessários. O Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações também chegou realizando uma inspeção nas ruas e casas na região onde as famílias moravam. O ministro esclareceu que três casas foram perdidas no caso. Uma casa em Pont Buiten e duas em Latour. Além da casa onde as quatro crianças estavam hospedadas, a casa do vizinho Ansoe, também pegou fogo.

As duas famílias onde as crianças morreram receberam abrigo, enquanto no caso de Ansoe, o ministério forneceu um abrigo de emergência. O ministro também comentou sobre doações em espécie da sociedade para a família, pedindo que isso seja feito através de seu Ministério no Waterkant para que as questões possam ser coordenadas.

Em relação ao funeral, o ministro Misiekaba disse que ambas as famílias ainda esperam que o procurador geral libere os corpos. O governo arcará com os custos totais associados aos funerais. O ministro também discutiu porque muita atenção foi dada a esta questão. Segundo ele, esta é uma grande tragédia em que, de uma só vez, 5 crianças morreram. Misiekaba diz que deseja discutir a proposta com o Presidente Bouterse para criar um fundo financeiro preventivo para sempre poder atender aos afetados em casos de calamidades desta magnitude.