Não há registros no país.

Com o apoio da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), o Laboratório Médico Central do Suriname se tornou o primeiro no Caribe a receber reagentes e treinamento para a detecção do coronavírus. O número de infecções e mortes por COVID-19 está aumentando em vários países do mundo, mas não há registros no Suriname.

Como ação preventiva, essa equipe realiza várias reuniões por semana desde janeiro de 2020 com o objetivo de desenvolver um plano nacional para reduzir os riscos associados à importação e disseminação do COVID-19, melhorar a vigilância epidemiológica para detecção precoce e aumentar a preparação no setor.

Publicidade

A equipe desenvolveu procedimentos operacionais padrão (POPs) para registrar o processo passo a passo para os envolvidos diretamente e os atores em que diferentes cenários foram elaborados para a detecção de possíveis casos. Para concluir esse POP dinâmico, várias entidades foram consultadas para concluir diagnósticos, gerenciamento clínico, medidas de prevenção e controle de infecções e gerenciamento de quarentena e isolamento.

Os POPs também fornecem uma visão clara dos locais designados (UTI, quarentena e isolamento) e descrevem o papel das autoridades nacionais e dos atores privados no caso da introdução do COVID-19 no Suriname. Vários locais foram mapeados para quarentena e especialistas em isolamento. A equipe também avaliou a necessidade de equipamento de proteção individual (EPI).

Deixe seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar