spot_img
spot_img

Kiev denuncia novas violações do cessar-fogo

Atualizado há

Desde a trégua de 5 de setembro, o Exército ucraniano avançou e retomou posições no leste do país. Putin ignora tensão e diz que irá ao encontro do G20.

As autoridades ucranianas denunciaram nesta segunda-feira novas violações do cessar-fogo por parte dos rebeldes separatistas pró-Rússia durante o domingo. Grupos separatistas atacaram as posições dos militares ucranianos, informou o centro de imprensa da operação antiterrorista, como Kiev denomina a campanha militar contra os sublevados nas regiões de Donetsk e Lugansk.

Os militares ucranianos e as milícias separatistas que se enfrentam no leste do país tinham acordado em desmilitarizar uma região de 30 quilômetros em torno da linha que separa suas posições atuais. “Nossas forças abriram fogo unicamente para se defender”, informou o Exército ucraniano, segundo o jornal local Ukrainskaya Pravda.

- Publicidade -

Kiev e os separatistas pró-Rússia reforçaram neste sábado a trégua decretada no dia 5 de setembro ao assinar um memorando de paz com doze pontos para tentar resolver o conflito. O acordo inclui, entre outros pontos, o fim dos ataques mútuos nas regiões de Donetsk e Lugansk, e a retirada das tropas ucranianas dessas áreas. Mas, de fato, desde a declaração do cessar-fogo, as forças de Kiev avançaram e recuperaram parte do terreno perdido.

G20 – Apontado pelo Ocidente como o pivô da crise no leste da Ucrânia, o presidente russo Vladimir Putin planeja participar da reunião do G20 na cidade australiana de Brisbane, informou o porta-voz do Kremlin nesta segunda. Devido ao clima tenso entre Moscou e os países ocidentais, havia pedidos para que os anfitriões impedissem a Rússia de participar das reuniões.

Na semana passada, falando em nome do governo, o responsável do Tesouro australiano, Joe Hockey, sublinhou que qualquer membro do G20 tem o direito de participar e as decisões de exclusão de partes terão de ser tomadas pelo conjunto dos membros do grupo, e não por uma decisão unilateral. O encontro dos vinte países mais ricos do mundo acontecerá em 15 e 16 de novembro.

Deixe seu comentário abaixo.

Fonte: Reuters

Comentar

Comentar

spot_img
spot_img
spot_img
spot_img
spot_img

Mais do LPM

spot_img
Custom App
Phone
Messenger
Email
WhatsApp
Messenger
WhatsApp
Phone
Email
Custom App