Israelenses e palestinos trocam acusações sobre quem teria quebrado o cessar-fogo primeiro.

Os combates entre o Exército de Israel e o Hamas foram retomados nesta sexta-feira (1º) poucas horas depois da entrada em vigor de um cessar-fogo humanitário de 72 horas.

A artilharia israelense perto da cidade de Rafah, no sul da faixa de Gaza, matou pelo menos 40 pessoas nesta sexta-feira, informou o hospital local, enquanto o cessar-fogo iniciado horas antes desmoronava.

No entanto, a imprensa israelense acusou o Hamas de continuar com o lançamento de foguetes após o início da trégua humanitária promovida entre as partes pelos EUA e a ONU.

Segundo os veículos de comunicação israelenses, os disparos dos carros de combate foram uma resposta para o lançamento de morteiros de milícias palestinas nas imediações da fronteira.

O acordo de cessar-fogo humanitário foi anunciado na noite de ontem pelo secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, e o chefe da diplomacia americana, John Kerry.

O anúncio da trégua se tornou público depois que o enviado especial da ONU à região, Robert Serry, recebeu a confirmação tanto de Israel como do Hamas.

“Este cessar-fogo humanitário começa às 8h locais da sexta-feira, 1º de agosto de 2014. Estará vigente por um período de 72 horas, a menos que seja estendido. Durante esse tempo, as forças no terreno permanecerão em suas posições”, diz o comunicado conjunto de Ban e Kerry. Agora, as partes vêm trocando acusações sobre quem violou primeiro a trégua.

Deixe seu comentário abaixo.

Fonte: R7

Comentar

Comentar