spot_img
spot_img

Índia concorda com reestruturação da dívida do Suriname

Com este acordo, o Suriname chega à terceira reestruturação de dívida consecutiva, após reestruturação com Holanda e França

Atualizado há

Após vários dias de negociações com as autoridades da Índia, a delegação do Suriname recebeu boas notícias na segunda-feira (9), com o governo indiano concordando com o pedido do Suriname de reestruturação da dívida do Suriname com o país.

O ministro de Relações Exteriores, Negócios Internacionais e Cooperação Internacional (BIBIS), Albert Ramdin, a reestruturação da dívida foi um dos aspectos mais importantes da conversa entre o presidente do Suriname Chandrikapersad Santokhi e o primeiro-ministro indiano Narendra Modi.

Antes da conversa entre os dois chefes de governo, especialistas do Suriname National Debt Bureau estiveram em negociações com o Exim Bank of India. “É um valor relativamente pequeno, US$ 38 milhões. É simbolicamente importante que cheguemos a uma conclusão, porque este é um dos acordos de dívida pendentes”, disse o ministro Ramdin.

- Publicidade -

Ramdin aponta que o processo pode ser concluído com a aprovação do governo indiano. “Com base nisso, esperamos que haja cooperação entre o Exim Bank India e o Ministério das Finanças e Planejamento para assinar o acordo em breve. Esta é a terceira reestruturação de dívida consecutiva, depois da Holanda e da França. Itália e Israel seguirão em breve”, enfatiza o ministro. Uma razão importante para a reestruturação da dívida é a liberação de cerca de 48,5 milhões de dólares da Índia, que estavam retidos por causa do programa do Fundo Monetário Internacional.

O ministro acredita ser importante que a China tome nota disso, para que o país tenha uma ideia de como também pode chegar a uma reestruturação da dívida junto com o Suriname. A dívida da China está entre US$ 400 e 500 milhões, segundo o ministro Ramdin. Ele espera que o Suriname chegue logo a um acordo com a China também, porém de acordo com o ministro, as coisas são um pouco mais complexas em relação à China. 

 

Comentar

Comentar

spot_img
spot_img
spot_img
spot_img
spot_img

Mais do LPM

spot_img
Custom App
Phone
Messenger
Email
WhatsApp
Messenger
WhatsApp
Phone
Email
Custom App