Fenômeno provocou devastação em Dominica e,”extremamente perigoso”, ruma para Porto Rico.

RESUMO

  • Furacão provocou destruição em Dominica e causou uma morte
  • Porto Rico está em estado de emergência

ACOMPANHE

O governador de Porto Rico, Ricardo Rosselló, pediu à população que se mantenha em casa por três dias após a passagem do furacão Maria pela ilha caribenha, prevista para esta quarta. Ele afirmou que se trata da tempestade mais potente a passar por Porto Rico em um século. Ele pediu aos cidadãos que priorizem suas vidas e alertou que eles deverão abandonar suas propriedades se tiverem problemas estruturais ou elas estiverem próximas à costa e áreas inundáveis.

Publicidade

40% dos imóveis da ilha de Guadalupe, que tem cerca de 400.000 habitantes, estão sem eletricidade.

A passagem do furacão “Maria” pela ilha francesa de Guadalupe causou uma morte e deixou dois desaparecidos, informou a delegação do governo francês da ilha caribenha em um balanço provisório. A morte ocorreu após uma queda de árvore.

O furacão Maria segue na categoria 5, com ventos máximos sustentados de 257 km/h, e continua seguindo em direção a Porto Rico, que deve atingir entre a noite desta terça e a manhã de quarta. A rota prevista do furacão também pode passar pela República Dominicana e pelas Bahamas, segundo o Centro Nacional de Furacões dos EUA.

Imagem de satélite mostra o furacão Maria do espaço

O Departamento de Gestão de Desastres das Ilhas Virgens Britânicas advertiu aos residentes que Maria é um furacão potencialmente catastrófico. O DDM disse que espera que Maria produza um aumento da maré que fará com que as áreas do litoral sejam inundadas, e pediu a todos os residentes que tomem as medidas necessárias para garantir a vida e suas propriedades.

Há cerca de duas semanas, cerca de 100 presos aproveitaram a confusão criada pela passagem do furacão Irma para escapar nas Ilhas Virgens Britânicas. Muitos deles já foram capturados.

O governador das Ilhas Virgens Britânicas, Augustus Jaspert, anunciou reforço das medidas de segurança na principal prisão do território devido ao furacão Maria, a fim de evitar fugas em massa como a ocorrida junto com a chegada do ciclone Irma.

Fonte: G1

Comentar

Comentar