A passagem do furacão Irma pelo Estados Unidos, Caribe e Cuba deixou ao menos 40 mortos, segundo autoridades. Só no Estado da Florida, 5,7 milhões de pessoas ficaram sem energia. Os prejuízos com a destruição são estimados em cerca de 50 bilhões de dólares.

Governos europeus, inclusive da França e do Reino Unido, que controlam muitos territórios atingidos no Caribe, lançaram um plano de emergência para ajudar as populações locais e iniciar a reconstrução das regiões devastadas.

Publicidade

Durante a segunda-feira (11), o Irma, avaliado como um dos mais potentes já registrados no Atlântico, foi rebaixado para tempestade tropical e chegou ao Estado da Georgia. Mais de 100 mil pessoas ficaram sem luz.

O governo da Georgia, da Carolina do Sul e do Alabama mantiveram o estado de alerta, determinando que a população não saísse de casa devido à intensidade dos ventos e das chuvas.

Entre as mortes, 27 foram nas ilhas do Caribe (Barbuda, St. Martin e as Ilhas Virgens Britânicas), 10 em Cuba e uma na Florida. O Irma também desalojou 24.116 pessoas na República Dominicana.

Uma semana antes, o furacão Harvey inundou uma vasta porção de Houston, no Texas. A temporada oficial de furacões no Atlântico ainda dura quase três meses.

O furacão chegou em Miami, no estado da Flórida, neste domingo (10), atingindo várias regiões com fortes rajadas de vento e chuvas pesadas. Veja a seguir quais foram os maiores fenômenos naturais que atingiram os Estados Unidos

O furacão Sandy atingiu a costa leste dos Estados Unidos, deixando mais de 200 mortos e R$ 130 bilhões (US$ 60 bilhões) em prejuízos. Ao todo foram 24 estados prejudicados, em particular Nova York, Nova Jersey e Connecticut. O fenômeno deixou diversos locais destruídos pelos ventos e por inundações

Em 1935, um furacão de categoria 5 atingiu Florida Keys no dia 4 de setembro, o Dia do Trabalho nos Estados Unidos. De acordo com a Administração Oceânica e Atmosférica Nacional, os ventos causados pela tempestade chegaram a 297 km/h e gerou ondas de 6 metros. Ao todo, foram registradas 408 mortes

Outro furacão atingiu a Flórida em 1928, mas dessa vez na região sul da cidade. Os ventos chegaram a velocidades de mais de 230 km/h e mais de 1.700 casas ficaram destruídas. Várias regiões ficaram sob enchentes de 10 a 15 metros da altura

O furacão Camille que atingiu os Estados Unidos em 1969 foi um dos primeiros que recebeu um nome dado pelos especialistas. O fenômeno atingiu o país de forma tão violenta que os dados mais técnicos dele não foram registrados. Os equipamentos que mediriam a potencia do Camille foram todos destruídos pelos ventos

Em 1926, Miami foi alvo de outro fenômeno forte que causou grandes rastros de destruição. A tempestade durou apenas 35 minutos, mas esse tempo foi suficiente para que surgissem ondas de 3 metros de altura. Segundo a Cruz Vermelha, 372 pessoas morreram em decorrência da tempestade

O furacão mais mortal que atingiu os Estados Unidos ocorreu em 1900 no estado do Texas. O número estimado de mortos é 8 mil e 12 mil pessoas e 3 mil casas ficaram completamente destruídas. O nível do mar subiu 6 metros

O Katrina é considerado um dos furacões que atingiu os Estados Unidos na história, com ventos que passaram de 220 quilômetros por hora. Em 29 de agosto de 2005, o Katrina deixou 85% da cidade de Nova Orleans inundada. Grande parte do município fica abaixo do nível do mar e o sistema de diques, que protegia a cidade, se rompeu e agravou a situação

Fonte: G1

Comentar

Comentar