A aterrissagem de Snoopy na grande tela no final de ano é uma “grande responsabilidade” para o diretor do filme, Steve Martino, que se declarou um grande admirador do cachorro mais famoso das histórias em quadrinhos, criado pelo americano Charles Schulz.

O diretor do primeiro filme em 3D de Snoopy atendeu à Agência Efe após o lançamento das primeiras cenas e destacou que esta produção é “um grande desafio” pelo que representa, “contentar tanto a crianças como a seus pais”.

“Snoopy: The Peanuts Movie”, que estreará em dezembro, é um filme que procura impregnar os próximos Natais de uma mensagem familiar, além de divulgar entre os mais jovens a genialidade de Schulz, desenhista e criador da tira cômica. “Acredito que os personagens de Schulz são geniais, cresci com eles, foram parte da minha vida, e quero que as pessoas que não sabem nada deles tenham a oportunidade de conhecê-los”, destacou Martino.

O diretor americano, que participou de filmes como a quarta parte da saga “A Era do Gelo”, afirmou que o projeto de Snoopy representa “uma sensibilidade totalmente diferente na área da animação”.

De fato, a adaptação ao cinema de Snoopy está baseada nas tiras das história em quadrinhos projetadas por seu criador Schulz, já que, como no quadrinhos, os personagens só mostram quatro perfis, razão pela qual que as transições não são fluentes como é habitual. “A ideia deste filme começou há três ou quatro anos, quando os familiares de Schulz tiveram a ideia de levar Snoopy ao cinema”, relatou Martino. A primeira coisa que considerou quando recebeu a proposta foi “criar uma grande história ao redor dos personagens”.

O filme gira em torno de Charlie Brown e a série de aventuras nas quais se verá imerso, acompanhado pelo atento olhar de Snoopy, em relação a uma surpreendente menina ruiva que acaba de chegar a sua escola.

Em relação a este novo personagem, Martino revelou que não é um produto totalmente “de ficção”, pois apareceu em uma dos tiras de Schulz e, a partir daí, trabalharam para adaptar sua personagem ao filme. “Acredito que Charles Schulz, filho do desenhista, achou que era genial que fosse uma personagem aberta à imaginação”, afirmou Martino em relação à menina ruiva, ressaltando que a história não gira em torno dela, mas da meta de Charlie Brown.

“Antes de começar o trabalho de animação, fizemos um trabalho tremendo de pesquisa no Museu Schulz, nos Estados Unidos, onde a família do desenhista nos proporcionou acesso a todas as histórias em quadrinhos que criou”, contou Martino. “Queríamos recriar à perfeição os movimentos dos personagens de Snoopy, por isso os personagens só contam com quatro poses em tela: a frontal, 20 graus para um lado e para outro, e o perfil”, detalhou Martino.

Além disso, segundo o diretor, Snoopy é um filme com uma mensagem interna profunda que expressa que “uma vida maravilhosa pode provir do carinho que divide com sua família ou com um amigo, algo muito mais importante que ganhar medalhas ou ser uma estrela”.

Martino contou que tem duas filhas às quais viu crescer em um ambiente no qual o importante é ser um vencedor, entrar na melhor escola ou se transformar em uma estrela. “Há muitas crianças expostas a este pensamento e que consideram que estes desafios são a única forma de triunfar”, comentou Martino, se referindo a valores que pretende combater com esta produção.

Em sua opinião, o melhor amigo de Snoopy, Charlie Brown, e seu bando de amigos, se encaixam com perfeição nesta mensagem de “unidade e perseverança”.

Deixe seu comentário abaixo.

Fonte: Uol

Comentar

Comentar