Foto: Reprodução

A relação de proximidade entre Roraima e Guiana pode ser fortalecida nos próximos meses com a possibilidade da ida de empresas brasileiras para o país vizinho, principalmente na região de Lethem, que fica na fronteira entre os dois países. Para o cônsul da Guiana no Brasil, Rodger King, a região é uma das que mais tem crescido no país vizinho e tem atraído o interesse de empresários brasileiros.

“O setor comercial de Lethem é o setor que mais cresce na Guiana, depois de Georgetown, e é um dos que o governo [da Guiana] tem mais investido, e isso ajuda a atrair mais investimentos privados, principalmente na Região Nove, que é a região do Rupununi e o Governo da Guiana tem incentivado a parceria entre o setor privado e o governo”, avaliou o cônsul.

Empresários da região do Rupununi, onde Lethem está localizada, irão realizar um evento no próximo sábado, 26, para se aproximar de empresários brasileiros e realizar intercâmbio entre representantes do setor. Os representantes do Brasil poderão expor os seus produtos.

“Todos os eventos no setor privado têm esse propósito: de adquirir parcerias e prospectar investimentos. A Rupununi Expo é uma iniciativa do setor privado, realizada pela Câmara do Comércio há 20 anos e essa atividade vem sendo desenvolvida passo a passo e há muito interesse de investidores brasileiros. A primeira experiência que os brasileiros têm com o setor empresarial da Guiana é ir a Lethem e a Guiana está aberta a negócios”.

Estrada

O cônsul também ressalta que outras iniciativas de aproximação entre os dois países, como a pavimentação da estrada entre Lethem e Linden, vai aumentar o volume de negócios. A previsão é que a obra seja finalizada nos próximos quatro ou cinco anos.

“O Brasil sempre foi um país estratégico para a Guiana e essa relação tem sido desenvolvida em diversas áreas, como a segurança, segurança alimentar e comércio. Rupununi está para a Guiana assim como Roraima está para o Brasil. São duas regiões que estão longe da capital do país e da costa marítima, os desafios são comuns. A importância de parcerias e de obras, como a pavimentação da estrada, é fundamental”.

A obra foi um acordo feito pelo governo Temer, em 2017. A ideia é que a estrada favoreça o comércio e escoamento da produção da Região Norte do Brasil, principalmente Amazonas e Roraima, para o Caribe e mercados norte-americano, asiático e europeu.

Mais investimentos

Para o presidente da Câmara de Comércio do Rupununi, Daniel Gajie, o governo da Guiana quer atrair mais investimentos do setor privado, incluindo o de empresários brasileiros, para diversificar a economia do país vizinho, e que a Feira de Exposições de Rupununi será fundamental neste processo.

A relação de proximidade entre Roraima e Guiana pode ser fortalecida nos próximos meses com a possibilidade da ida de empresas brasileiras para o país vizinho, principalmente na região de Lethem, que fica na fronteira entre os dois países. Para o cônsul da Guiana no Brasil, Rodger King, a região é uma das que mais tem crescido no país vizinho e tem atraído o interesse de empresários brasileiros.

“O setor comercial de Lethem é o setor que mais cresce na Guiana, depois de Georgetown, e é um dos que o governo [da Guiana] tem mais investido, e isso ajuda a atrair mais investimentos privados, principalmente na Região Nove, que é a região do Rupununi e o Governo da Guiana tem incentivado a parceria entre o setor privado e o governo”, avaliou o cônsul.

Empresários da região do Rupununi, onde Lethem está localizada, irão realizar um evento no próximo sábado, 26, para se aproximar de empresários brasileiros e realizar intercâmbio entre representantes do setor. Os representantes do Brasil poderão expor os seus produtos.

“Todos os eventos no setor privado têm esse propósito: de adquirir parcerias e prospectar investimentos. A Rupununi Expo é uma iniciativa do setor privado, realizada pela Câmara do Comércio há 20 anos e essa atividade vem sendo desenvolvida passo a passo e há muito interesse de investidores brasileiros. A primeira experiência que os brasileiros têm com o setor empresarial da Guiana é ir a Lethem e a Guiana está aberta a negócios”.

Estrada

O cônsul também ressalta que outras iniciativas de aproximação entre os dois países, como a pavimentação da estrada entre Lethem e Linden, vai aumentar o volume de negócios. A previsão é que a obra seja finalizada nos próximos quatro ou cinco anos.

“O Brasil sempre foi um país estratégico para a Guiana e essa relação tem sido desenvolvida em diversas áreas, como a segurança, segurança alimentar e comércio. Rupununi está para a Guiana assim como Roraima está para o Brasil. São duas regiões que estão longe da capital do país e da costa marítima, os desafios são comuns. A importância de parcerias e de obras, como a pavimentação da estrada, é fundamental”.

A obra foi um acordo feito pelo governo Temer, em 2017. A ideia é que a estrada favoreça o comércio e escoamento da produção da Região Norte do Brasil, principalmente Amazonas e Roraima, para o Caribe e mercados norte-americano, asiático e europeu.

Mais investimentos

Para o presidente da Câmara de Comércio do Rupununi, Daniel Gajie, o governo da Guiana quer atrair mais investimentos do setor privado, incluindo o de empresários brasileiros, para diversificar a economia do país vizinho, e que a Feira de Exposições de Rupununi será fundamental neste processo.

“A Guiana tem atuado de forma incisiva para buscar investimentos para o país e espera o apoio do setor privado tanto na Guiana quanto fora da Guiana. O Brasil, e principalmente Roraima, tem muito a oferecer. Estamos abertos a participação de todos os empresários brasileiros que querem contribuir com o nosso pais”, avaliou Gajie.

Comentar

Comentar