spot_img
spot_img

FALSO PROFETA: Pastor é procurado pela polícia após enganar 50 mil pessoas e desviar milhões de reais

Osório José Lopes Júnior, que se apresenta nas redes sociais como "empresário, teólogo, conferencista e escritor", é seguido por mais de 60 mil pessoas em sua conta no Instagram

Atualizado há

BRASÍLIA – Nesta quarta-feira, a Polícia Civil do Distrito Federal deflagrou a Operação Falso Profeta, visando desmantelar uma organização suspeita de praticar estelionato e outros crimes em várias partes do Brasil. Um dos principais alvos da operação é Osório José Lopes Júnior, considerado foragido e apontado como líder de um esquema que envolve dezenas de lideranças religiosas e teria feito mais de 50 mil vítimas em todo o país.

Osório José Lopes Júnior, que se apresenta nas redes sociais como “empresário, teólogo, conferencista e escritor”, é seguido por mais de 60 mil pessoas em sua conta no Instagram. Ele acumula diversas acusações de vítimas que afirmam ter feito depósitos em sua conta após a promessa de retornos financeiros milionários.

Em 2018, o Ministério Público de Goiás já havia denunciado Osório por um golpe envolvendo fiéis, no qual ele e outras duas pessoas teriam arrecadado cerca de R$ 15 milhões em Goianésia (GO). Na época, Osório prometia lucros de até dez vezes para quem lhe enviasse dinheiro, alegando que precisava resgatar um título bilionário. As vítimas, iludidas pelo elemento de autoridade religiosa, entregavam seus bens e dinheiro.

- Publicidade -

O golpista, enquanto enganava suas vítimas, desfrutava de uma vida de luxo, incluindo viagens de helicóptero e carros de luxo, além de segurança pessoal. Ele alegava que seu dinheiro vinha de uma “oração” por um “bilionário no Brasil”, recebendo em troca papéis do “Tesouro Mundial”, uma alegação desmentida pelo Banco Central e Tesouro Nacional. Em março de 2022, a Justiça de São Paulo determinou o bloqueio do canal de Osório no YouTube. No entanto, ele continuou aplicando golpes, levando o Ministério Público de Goiás a solicitar sua prisão preventiva, que foi negada pela juíza do caso.

A Operação Falso Profeta mobilizou cerca de cem policiais, que cumpriram dois mandados de prisão preventiva e 16 de busca e apreensão em endereços no Distrito Federal e em quatro estados brasileiros. A investigação aponta para um dos maiores golpes já apurados no país, envolvendo dezenas de líderes religiosos e mais de 50 mil vítimas. A Justiça também determinou o bloqueio de valores, redes sociais e proibição do uso de mídias digitais pelos suspeitos. Osório José Lopes Júnior permanece foragido, e a polícia continua em sua busca.

 

Comentar

Comentar

spot_img
spot_img
spot_img
spot_img
spot_img

Mais do LPM

spot_img
Custom App
Phone
Messenger
Email
WhatsApp
Messenger
WhatsApp
Phone
Email
Custom App