spot_img
spot_img

Exército do Brasil e EUA realizam treinamento na fronteira com Suriname e Guiana Francesa

O exercício será dividido em três fases distintas. A primeira fase ocorreu em Belém, de 2 a 4 de novembro, onde militares dos EUA participaram do "Estágio de Vida e Combate na Selva (EVCS)"

Atualizado há

Na fronteira entre o Brasil, a Guiana Francesa e o Suriname, o Exército Brasileiro está prestes a se engajar em um exercício militar inédito em uma área da Amazônia Legal. Em colaboração com militares dos Estados Unidos, o exercício tem como nome “Combined Operation and Rotation Exercise (Core)”, e promete ser uma demonstração de cooperação e treinamento conjunto de grande magnitude.

O exercício será dividido em três fases distintas. A primeira fase ocorreu em Belém, de 2 a 4 de novembro, onde militares dos EUA participaram do “Estágio de Vida e Combate na Selva (EVCS)” ministrado por militares do 2º Batalhão de Infantaria de Selva (2º BIS). Esta etapa teve como objetivo preparar as tropas para as desafios do ambiente da selva, destacando a importância da preparação para operações nessa região de floresta densa.

A segunda fase teve início em 6 de novembro, na capital do Amapá, Macapá. Esta etapa incluiu uma cerimônia de abertura e o evento “Painel de Gênero – A Mulher nas Forças Armadas”, enfocando a diversidade e a inclusão nas Forças Armadas, bem como a contribuição das mulheres nesse contexto.

- Publicidade -

A terceira e última fase, que ocorrerá de 7 a 16 de novembro, é a mais aguardada, envolvendo o exercício operacional em campo nas áreas de alguns municípios. Durante essa fase, as tropas realizarão uma variedade de operações, incluindo um assalto aeromóvel, onde helicópteros do Exército Brasileiro serão empregados, e operações em ambiente de selva, explorando os desafios únicos desse ambiente.

Este exercício militar é um exemplo notável de colaboração internacional entre o Brasil e os Estados Unidos, e é parte de um acordo de cooperação de defesa firmado em 2015. Cerca de 300 militares norte-americanos se juntarão aos 1200 militares do Comando Militar do Norte para participar dessa operação conjunta. A parceria tem como objetivo aprimorar as habilidades militares, compartilhar conhecimentos e fortalecer os laços entre as forças armadas dos dois países.

Comentar

Comentar

spot_img
spot_img
spot_img
spot_img
spot_img

Mais do LPM

spot_img
Custom App
Phone
Messenger
Email
WhatsApp
Messenger
WhatsApp
Phone
Email
Custom App
%d blogueiros gostam disto: