Desde domingo (15), o Estádio Clarence Seedorf, com dois mil lugares, está à venda por 3,5 milhões de euros.

Em 2001, o jogador de futebol Clarence Seedorf teve um dos seus sonhos realizados quando o estádio que leva o seu nome foi construído no terreno familiar “Baka Para”, no Suriname.

Publicidade

Nos últimos quatro anos, o estádio quase não era mais usado. O projeto era manter as crianças fora da rua e o futebol era meio perfeito para se alcançar esse resultado. “As crianças não têm que vender frutas ou jornais à noite e uma escola de futebol pode contribuir para a realização dos sonhos dessas crianças surinamesas”, foram palavras ditas por  Clarence Seedorf na inauguração do estádio em 2001.

Após a inauguração, o ex-jogador do Ajax deixou seu tio Henry Seedorf na direção da fundação “Future With Values”. O estádio foi inicialmente um sucesso chegando a oferecer treinamento de futebol, alimentos e chuteiras para até seiscentas crianças onde a antiga estrela do Real Madrid e do Milan, pagava do próprio bolso por tudo. Em 2008, Clarence Seedorf pretendia doar para a Associação de Futebol do Surinamense (SVB) três milhões de euros, mas queria participar do projeto. A SVB não aprovou a participação de Clarence Seedorf nesse projeto e quando a comunidade empresarial não apoiou com doações, o projeto começou a dar errado em 2010.

Henry Seedorf se retirou e o sonho do craque internacional Clarence Seedorf se desfez culminando com o anúncio de venda do estádio no último domingo (15) localizado na Martin Luther Kingweg.

Deixe seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar