spot_img
spot_img

Emissora brasileira exibe documentário “Desafios da Igreja” no Suriname nesta quinta-feira (24)

Além disso, o documentário destaca as consequências devastadoras da mineração de ouro no Suriname, que atrai garimpeiros em busca de riqueza e, infelizmente, estimula a exploração sexual e o tráfico de seres humanos

Atualizado há

A TV Aparecida está pronta para apresentar, na próxima quinta-feira, dia 24 de agosto, às 21h, um novo episódio da aclamada série “Desafios da Igreja”. Desta vez, os holofotes se voltam para “Suriname, Terra de Missão”. A equipe de jornalismo desta emissora empenhou-se em uma viagem até Paramaribo e interior para revelar a rica tapeçaria cultural, étnica e religiosa da região, bem como para destacar os incríveis 157 anos de dedicação dos Missionários Redentoristas.

Nesta cativante reportagem, será exposta a missão extraordinária dos redentoristas, que chegaram a esse território quando ainda estava sob domínio colonial holandês e desde então estabeleceram raízes em inúmeras paróquias. O Suriname abriga predominantemente a fé hindu, seguida pelo islamismo, enquanto apenas cerca de 20% da população se declara católica. É nesse contexto diversificado que a Igreja se esforça para fazer a diferença.

O documentário também lança luz sobre a vida inspiradora do Beato Pedro Donders, reverenciado como o Apóstolo do Suriname, devido à sua dedicação incansável em cuidar dos enfermos na região de Batávia. Camila Morais, a repórter por trás dessa produção, compartilha suas experiências:

“Há algum tempo, já admirávamos o trabalho dos Redentoristas no Suriname. Dado que se trata de uma região amazônica, enfrentando inúmeros desafios sociais e representando um chamado à Igreja, planejamos cuidadosamente e partimos para registrar essa realidade. Queríamos mostrar o quanto é desafiador o trabalho dos missionários que deixam suas nações de origem, suas línguas e suas culturas para servir a outras pessoas em contextos tão singulares”.

- Publicidade -

Além disso, o documentário destaca as consequências devastadoras da mineração de ouro no Suriname, que atrai garimpeiros em busca de riqueza e, infelizmente, estimula a exploração sexual e o tráfico de seres humanos. A produção também lança um olhar atento sobre a história singular do Suriname, que recebeu mais africanos escravizados do que qualquer outro país e abrigou a maior população de quilombolas fugitivos. Essa herança é evidente na vibrante dança, música e celebrações características do povo.

Comentar

Comentar

spot_img
spot_img
spot_img
spot_img
spot_img

Mais do LPM

spot_img
Custom App
Phone
Messenger
Email
WhatsApp
Messenger
WhatsApp
Phone
Email
Custom App