De acordo com informações compartilhadas pelo embaixador com o jornal LPM NEWS, o encontro aconteceu na tarde da última quarta-feira (22).

O objetivo do encontro foi informar a Embaixada brasileira e os trabalhadores sobre as iniciativas tomadas pelo governo para a regularização das atividades no setor de ouro.

O embaixador Laudemar Aguiar, informou que foi chamado pelo Ministro Regillio Dodson, dos Recursos Naturais, para participar da reunião onde estavam presentes aproximadamente 19 proprietários de balsas que operam atualmente nas regiões de Sarakreek e Marowijne.

“Como Embaixada, não participamos das discussões que devem ocorrer diretamente entre os donos de dragas e o Governo do Suriname, mas a embaixada tem o papel de buscar assistir e proteger todos os brasileiros no território do Suriname, estejam onde estiverem”, disse o embaixador ao jornal LPM NEWS.

O embaixador Laudemar Aguiar disse ainda que a Embaixada do Brasil em Paramaribo, através da retomada dos Consulados Itinerantes, está trabalhando com o apoio dos Ministérios das Relações Exteriores do Suriname, da Justiça e Polícia, Ministério da Saúde, e sobretudo do Departamento de Imigração, no sentido de oferecer aos brasileiros a oportunidade de continuar trabalhando no país dentro da legalidade. “Considero muito positivo que o Ministério dos Recursos Naturais se some a esse esforço”, acrescentou o embaixador Laudemar Aguiar.

O ministro Dodson disse após a reunião, que a partir de agora haverá regras rígidas para a dragagem na região do reservatório (área de Sarakreek e Marowijne). As embarcações serão equipadas com GPS e sistema de numeração sequencial e será proibido trabalhar com mercúrio. O ministro anunciou ainda que as autoridades da Guiana Francesa estarão envolvidas para fazer cumprir as novas regras na região de fronteira.

“Queremos que todos, empresários e garimpeiros brasileiros, possam ter as melhores condições possíveis de trabalho, evidentemente respeitando as leis do Suriname, e que estejam regularizados, em benefício de todas as partes”, finalizou o embaixador Laudemar Aguiar.

Foto: LPM NEWS ARQUIVO

Deixe seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar