No contexto da inovação em e-Government, foi realizada uma apresentação para funcionários do governo pela e-Governance Academy of Estonia (eGA). O presidente do conselho da eGA, Hannes Astok, deu uma explicação sobre os meandros do e-Gov na Estônia durante sua apresentação na quarta-feira (25). A apresentação concentrou-se na análise das informações dos cidadãos, dados do governo e na promoção de um intercâmbio seguro dos mesmos.

Durante sua apresentação, o presidente Astok destacou os benefícios de digitalizar totalmente as informações dos cidadãos e do governo. Entre outras coisas, os longos processos de solicitação de documentos pelos cidadãos podem ser reduzidos para meia hora por meio da digitalização. 

Também no que diz respeito à disponibilização de informação por parte do governo aos cidadãos, agências, empresas e investidores, a crescente digitalização trará enormes benefícios. “Com isso, fazer negócios será consideravelmente mais rápido e prazeroso, em comparação com situações em que as coisas são difíceis devido à burocracia”, diz Astok. O coordenador Ramadhin diz que ter dados disponíveis é de suma importância para desenvolver políticas, fazer negócios e promover o desenvolvimento. Digitalizar com segurança e responsabilidade também será uma ferramenta para suprimir a corrupção. A prática muitas vezes mostrou que, quando há contato direto e os casos são tratados fisicamente, o risco de corrupção aumenta. “Um computador não pode ser subornado”, diz Astok.

Annela Kilrats, diretora do programa e-Governance Training eGA, indicou em sua apresentação que tudo o que o governo faz visa tornar o atendimento ao cidadão mais agradável, seguro e responsável. Segundo ela, a solicitação de documentos pode ser feita com agilidade e eficiência. O diretor do programa Kilrats menciona algumas vantagens, como; votação online, para que os cidadãos não tenham de se deslocar a uma assembleia de voto e trabalhar à distância. Ela também aponta que a transparência, por meio da qual as pessoas podem ver quem solicitou suas informações, também é uma das vantagens. “É melhor saber quem precisa das minhas informações e por quê, porque são meus dados”, disse Kilrats. Ramadhin diz que nos próximos meses as partes vão estudar as possibilidades de elevar o nível do e-Gov no Suriname.

Comentar

Comentar