De acordo com informações divulgadas pela polícia da Guiana Inglesa, cinco prisioneiros escaparam depois de distrair os guardas incendiando a prisão de Georgetown. 

“O incêndio realmente serviu como uma distração que resultou na fuga dos detentos, mas isso ainda deve ser confirmado”, disse o diretor das prisão, Gladwin Samuels, em uma entrevista coletiva nesta segunda-feira, 10 de julho.

Publicidade

O incêndio que atingiu várias alas do presídio na capital Georgetown aconteceu no domingo (9) e segundo o diretor da prisão, um oficial ficou gravemente ferido e um agente prisional que não resistiu aos ferimentos, morreu enquanto recebia tratamento médico de emergência enquanto outros dois agentes prisionais continuam internados no hospital público da capital.

As imagens do incêndio são fortes e mostram o desespero de pessoas que estavam dentro e fora da prisão enquanto as chamas tomavam conta de grande parte do complexo prisional. Na entrevista Samuels informou que os bombeiros e o pessoal de segurança ainda estão trabalhando no local para confirmar a existência de mais vítimas fatais.  Samuels disse ainda que até o final da noite de domingo, não houve relatos da morte de prisioneiros, mas dois deles que tentaram escapar foram baleados e levados para atendimento médico.

Entre os fugitivos, estão Royden Williams, que foi condenado à morte pelos massacres de Bartica e Lusignan, e Uree Varswyck, que estavas prestes  a ser julgado por assalto a mão armada. As identidades dos outros três ainda não foram divulgadas e o Comissário de Polícia da Guiana, Seelall Persaud, disse que pode haver mais fugitivos, mas até agora eles estavam cientes de cinco.

O jornal LPM NEWS estará voltando a qualquer momento com mais informações sobre este incidente ocorrido no país vizinho.

Foto/vídeo: Kaieteur News Inc.

Deixe seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar