A informação foi divulgada esta semana pela Associação de Concessionárias de Automóveis do Suriname.

Os negociantes de carros confirmam que estão sendo forçados a usar uma abordagem diferente com os clientes para manter a cabeça acima da água.

Publicidade

“A crise está fazendo com que as pessoas agora pensem duas vezes antes de gastar dinheiro com um carro novo”, disse Michael Jawahier, diretor do MN Car Center nesta quinta-feira, 24 de agosto.

“Muitas pessoas agora estão optando por veículos menores e mais econômicos”, afirmou Radjes Bhaggoe, ex-presidente da Associação de Concessionárias e diretor do Centro de Carros Bhaggoe, que confirmou o declínio acentuado nas vendas de automóveis. Os números para 2016 publicados pelo Escritório Geral de Estatísticas na semana passada mostraram que os negociantes de automóveis nesse ano gastaram mais com importações de carros do que em 2015.

De acordo com Bhaggoe, as grandes concessionárias enfrentam uma luta desigual com os pequenos importadores que pagam menos impostos e taxas de importação e assim conseguem oferecer seus veículos a um preço menor para os clientes. “Os pequenos importadores não tem os mesmos custos com funcionários e impostos que os grandes importadores e estas condições injustas irão levar muitos negociantes de carros á falência” salientou  Bhaggoe.

Jawahier e Bhaggoe concordam que para se manter no negocio de carros é necessário oferecer vantagens como pagamento de parcelas atenuadas, maior prazo de garantia e serviços de revisão e troca de óleo incluídos no pacote.

Deixe seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar