spot_img
spot_img

Campeões do mundo são aclamados no desembarque em Berlim

Atualizado há

Seleção alemã de futebol voltou para casa nesta terça-feira (15). Jogadores serão recebidos pelo público no Portão de Brandemburgo.

Dezenas de milhares de pessoas se reúnem desde o início da manhã desta terça-feira (15) no Portão de Brandemburgo, no coração de Berlim, para receber a seleção da Alemanha, campeã da Copa no Brasil. Esse foi o quarto título mundial de futebol conquistado pelo país.

Com camisetas, bandeiras e bonés com as cores do país (amarelo, preto e vermelho), os torcedores aguardavam a passagem dos jogadores, especialmente o jovem Mario Götze, autor do gol da vitória de 1 x 0 contra a Argentina, no final do segundo tempo da prorrogação.

- Publicidade -

O avião com os jogadores alemães pousou pouco antes das 10h10 locais (5h10 em Brasília). No Aeroporto de Tegel, centenas de pessoas gritaram quando o Boeing 747 da companhia alemã Lufthansa aterrissou na pista.

Os atletas são considerados verdadeiros “heróis”, pois conquistaram o primeiro título mundial para a Alemanha desde a reunificação do país, em 1990.

O capitão Philipp Lahm, com o troféu na mão, foi o primeiro a descer do avião, seguido pelos companheiros de time e o técnico Joachim Löw.

No aeroporto, os jogadores subiram em um ônibus que os levará até uma praça de Berlim, a Pariserplatz, perto do Portão de Brandemburgo. Os atletas terão a oportunidade de trocar de roupa e serão recebidos pelo prefeito de Berlim, Klaus Wowereit. Todos assinarão o livro de ouro da cidade.

A seleção e o técnico Joachim Low então saudarão a multidão em um palanque montado diante do Portão de Brandemburgo, que está cercado por mensagens gigantes com frases como “Obrigado, garotos”.

Torcedores emocionados
O motorista de ônibus Bernd Hesse, de 34 anos, não escondeu a emoção. “É um fato histórico. A última Copa do Mundo conquistada pela Alemanha havia acontecido em 1990. Você não tem a chance de ver isto todos os dias”, disse ele à agência de notícias francesa AFP.

“Durante quatro semanas, os jogadores me fizeram vibrar. Essa é a minha forma de agradecer”, contou a alemã Lydia Lampa, de 28 anos, que trabalha em uma agência de publicidade em Berlim.

Deixe seu comentário abaixo.

Fonte: G1

Comentar

Comentar

spot_img
spot_img
spot_img
spot_img
spot_img

Mais do LPM

spot_img
Custom App
Phone
Messenger
Email
WhatsApp
Messenger
WhatsApp
Phone
Email
Custom App