Foto: Governo de Roraima

O presidente Jair Bolsonaro (PL) confirmou visita à Guiana, prevista para sexta-feira (06), em companhia do governador Antonio Denarium (Progressistas), que deve compor a comitiva presidencial. A expectativa é que o resultado traga um novo caminho econômico para o estado que faz fronteira com o país.

A Comitiva Presidencial tem como destino Georgetown, capital da Guiana, onde ocorrerá uma reunião com o presidente do País, Irlaan Ali. A participação do governador se dá pela importância estratégica e geográfica que Roraima tem no diálogo com a Guiana, em termos comerciais e de infraestrutura.

Publicidade

Durante a visita o governador Denarium também deve tratar sobre a disponibilização de um ponto de conexão de internet e a atualização da tabela de produtos com benefícios tarifários para a importação, firmada entre os países.

A negociação da internet trata-se de trazer uma rede de fibra ótica desde Georgetown, a capital da República Cooperativista de Guiana até Boa Vista, numa extensão de cerca de 600 km. Esse cabo viria através da rodovia que liga as duas cidades, com reduzido custo de implantação.

A visita ao país vizinho seria realizada em janeiro, mas a ida foi cancelada após a morte da mãe do presidente, Dona Olinda, aos 94 anos, no interior de São Paulo.

De acordo com um comunicado divulgado pelo Ministério das Relações Exteriores, “a viagem presidencial ocorre no contexto do fortalecimento das relações bilaterais, em cenário de retomada do diálogo estratégico entre os governos e de perspectivas de maior desenvolvimento econômico e social da Guiana, impulsionado pelas descobertas recentes de petróleo e gás”

Asfaltamento da estrada

O embaixador da Guiana, Forbes July, declarou que o país vizinho está ansioso para ampliar a integração com o Brasil. Uma das formas para isso acontecer, segundo ele, é o asfaltamento da estrada Linden-Lethem.

A obra, que está em fase de licitação, promete facilitar o escoamento da produção brasileira por via terrestre, chegando ao porto de Georgetown, capital da Guiana, de onde poderá embarcar em navios rumo a outros países do mundo.

Na condição de representante do Ministério das Relações Exteriores guianense, ele elogiou o plano para ampliar o acordo de transporte de cargas e passageiros firmado com o Brasil, e dos benefícios do asfaltamento da estrada Linden-Lethem.

Comentar

Comentar