Segundo ‘Süddeutsche Zeitung’, telefonema da ex-secretária de Estado foi interceptado. Relação entre países foi abalada por revelação de grampos no telefone de Merkel.

O Serviço Federal de Inteligência da Alemanha (BND) espionou o celular de Hillary Clinton quando ela ocupava o cargo de secretária de Estado no primeiro mandato do presidente Barack Obama, de acordo com reportagem publicada nesta sexta-feira pelo jornal alemão Süddeutsche Zeitung. Ao menos um telefonema da ex-secretária, realizado de dentro do avião oficial, foi interceptado quando ela sobrevoava uma zona de risco monitorada pela agência alemã.

Publicidade

A informação pode ter consequências parea a relação entre Washington e Berlim, abalada desde que documentos vazados pelo ex-analista de inteligência Edward Snowden apontaram que a espionagem americana havia grampeado o celular da chanceler alemã Angela Merkel. A reportagem do Süddeutsche Zeitung afirma ainda que o governo ALEMÃO ordenou ao serviço de inteligência que espionassem um aliado da Otan, que não era os Estados Unidos – o nome do país não foi revelado.

A transcrição da conversa de Hillary chegou a várias autoridades alemãs e também à CIA, por meio de um agente duplo alemão que trabalhava para o governo e roubou documentos secretos para vendê-los aos Estados Unidos. O espião foi capturado no início de julho. Autoridades alemãs descreveram a espionagem contra Clinton como um fato acidental e negaram a ocorrência de uma espionagem sistemática contra os Estados Unidos. O fato de a transcrição não ter sido destruída imediatamente foi descrito por um membro do governo em Berlim como uma “idiotice”, informou o jornal. No entanto, aparentemente a interceptação não foi uma exceção, uma vez que o BND tinha como missão espionar as conversas de políticos americanos. Essa prática foi encerrada no ano passado, depois de uma ordem de Merkel para que todas as transcrições fossem destruídas.

Deixe seu comentário abaixo.

Fonte: Veja

Comentar

Comentar