Moscou marcou para esta semana a realização de manobras militares com mais de cem aeronaves. Exercícios serão longe da fronteira com a Ucrânia.

A Rússia vai fazer uma série de exercícios militares com mais de cem aeronaves nesta primeira semana de agosto, segundo informações da agência de notícias Interfax. De acordo com um porta-voz do exército russo, as atividades não acontecerão em áreas próximas à fronteira da Ucrânia. O exercício militar acontece após uma nova rodada de sanções econômicas da União Europeia (UE) e dos Estados Unidos contra o país e pode indicar uma postura mais agressiva do governo liderado pelo presidente Vladimir Putin. Os líderes europeus afirmaram na semana passada que esperavam mais flexibilidade de Moscou para não agravar as tensões, mas os exercícios militares vão na direção diametralmente oposta. Os EUA e a UE ainda não se manifestaram sobre os exercícios militares russos.

A relação entre o Ocidente e o governo russo se agravou desde a queda do avião da Malaysia Airlines, quando a Rússia passou a ser acusada de dar apoio aos separatistas que teriam derrubado o avião com um míssil terra-ar, segundo os EUA e a UE. As sanções anunciadas em 29 de julho são as mais duras desde a época da Guerra Fria e incluem os setores energia, armamentos e financeiro. Poderosos bancos estatais russo foram proibidos de negociar com instituições ocidentais, assim como uma grande companhia de defesa. Além disso, o governo americano bloqueou vendas de produtos de tecnologia para a lucrativa indústria de petróleo da Rússia.

Resgate das vítimas – Um avião militar transportará nesta segunda, de Kharkiv à Holanda, os restos mortais achados no local do acidente do voo MH17 da Malaysia Airlines no leste da Ucrânia, enquanto as equipes de investigação devem ir de novo à área do acidente ocorrido no dia 17 de julho. O Hércules C130 aterrissará por volta das 16h do horário local (11h de Brasília) em Eindhoven, informou o governo holandês, que coordena a investigação da tragédia que matou todas as 298 pessoas a bordo do Boeing 777. Segundo os holandeses, falta ainda localizar os restos mortais de cerca de 80 pessoas. Nesta segunda, três caixões serão transportados do aeroporto à base militar de Hilversum, no norte da Holanda, em um comboio de carros fúnebres escoltados pela polícia.

Corredor humanitário – Também nesta segunda, o comando militar ucraniano anunciou a abertura de corredores humanitários para que a população civil possa abandonar as cidades de Lugansk, Donetsk e Gorlovka, atualmente sob o controle das milícias separatistas pró-russas que atuam no leste da Ucrânia. Os corredores humanitários, um para cada uma dessas três cidades, ficariam abertos por quatro horas ao longo do dia de hoje, explica um comunicado do comando das forças ucranianas que atuam contra os separatistas.

Cada corredor, segundo a nota, tem uma rota claramente estabelecida e no período de seu funcionamento as tropas ucranianas não abrirão fogo a menos de 200 metros do percurso. “O distintivo para a população civil será uma bandeira branca para grupos de pessoas e um bracelete branco para cada cidadão”, acrescenta o comunicado, que informa que quem sair pelos corredores humanitários poderá levar consigo seus pertences.

Deixe seu comentário abaixo.

Fonte: Veja

Comentar

Comentar