Nancy Writebol ficará em ala especial de hospital de Atlanta. Surto da doença é o maior registrado até agora com 1,6 mil infecções.

O avião com o segundo cidadão americano infectado com ebola, a missionária Nancy Writebol, de 59 anos, chegou na manhã desta terça-feira a Atlanta, nos Estados Unidos, onde ela será tratada no Hospital Universitário de Emory, o mesmo onde está o médico Kent Brantly, que também está com a doença.

Publicidade

O hospital conta com uma ala especialmente concebida para o tratamento de doenças altamente contagiosas.

O avião que transportou Nancy também conta com uma sala de isolamento necessária, só tem capacidade para uma pessoa, por isso teve que retornar à Libéria para transportar a missionária depois que deixou Brantly no centro médico no último sábado (2). A aeronave pousou em Bangor, no estado americano de Maine, para reabastecimento, antes de seguir para Atlanta.

Bruce Johnson, o presidente da SIM USA, a associação de ajuda humanitária para a qual trabalha Nancy, disse para a emissora ‘MSNBC’ que a missionária ‘já consegue caminhar’.

Por outro lado, Tom Frieden, diretor dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, sigla em inglês) dos EUA, declarou no domingo que Brantly, de 33 anos, mostra sinais de ‘melhora’, o que considerou ‘encorajador’.

Brantly e Nancy apresentaram os sintomas do ebola – febre, vômitos e diarreia – durante seu trabalho na Libéria e exames de sangue posteriores confirmaram que ambos tinham a doença no final de julho.

O surto de ebola é o maior registrado até agora e, segundo dados da OMS divulgados nesta segunda-feira, já infectou 1.603 pessoas – das quais 887 morreram – em Serra Leoa, Guiné e Libéria, os três países mais afetados.

Deixe seu comentário abaixo.

Fonte: G1

 

Comentar

Comentar