Uma mulher acusada de ser a amante foi atacada pela mulher traída e duas amigas dela. A briga aconteceu em uma praça em Zhengzhou, na província de Henan, região central da China. Quem passava pelo local assistia  ao tumulto, que terminou com briga em que a amante levou socos, pontapés e tapas das agressoras.

A vítima teve a roupa arrancada, foi arrastada pelo chão e o cabelo puxado por elas.Ataques como esse têm se tornado cada vez mais frequentes no país. Geralmente, é a esposa quem luta e acaba batendo na amante, diante de pedestres. Desta vez, ela chamou duas mulheres para humilhar a rival em praça pública, durante o dia.

Publicidade

Em pouco mais de 1 minuto e meio, as amigas da traída foram para cima da moça, acusada de “roubar o marido” da “oficial” e começaram a bater nela.A esposa não foi identificada e a amante, segundo jornais locais, teriam 20 anos.Ela pedia calma, em vão,pois as mulheres diziam que estavam ali “para dar uma lição”. Puxavam a amante pela blusa e a arrastavam pelo chão.

Sem ter como se defender, ela chorava pedindo clemência, mas não adiantava , já que era puxada pelo trio.Deitada no piso, atordoada, ela levava tapas e chutes, e tinha o cabelo puxado com força.As três se juntavam para rasgar a roupa da garota, que ficou seminua no meio da rua.Um sujeito apareceu por ali.

A moça tida como a amante tenta se recompor e respirar, mas não por muito tempo. Enquanto ouvia xingamentos, a mulher levava mais tapas na cabeçaA presença de um homem no local não intimidou as agressoras, que continuaram atacando a vítima e continuaram arrastando a garota pelo chão da praça.

Outro homem apareceu, mas ele também insultou a garota e parecia até incentivar as mulheres a continuar a surra nela.Elas prosseguiam com o ataque covarde, puxando a garota mais uma vez pelo cabelo.

Nesse momento, o short dela foi arrancado com força, ela protegia o rosto contra os tapas e os socos.As mulheres a seguravam para tirar o seu sutiã.”Parem! Vocês vão me matar”, dizia a vítima.Segundo o jornal “Daily Star”, a briga durou ao todo cerca de 10 minutos.A moça chorava e pedia para alguém chamar a polícia, e como resposta era agredida mais ainda.

Fonte: G1

Comentar

Comentar