“É uma doença que nos abala em vários sentidos”, desabafa o marido de uma paciente diagnosticada com o novo coronavírus (Covid-19) em Itaituba, sudoeste do Pará. Em entrevista ao G1, o homem relata como é estar em isolamento junto com a esposa, que atestou positivo para o vírus, e quais os desafios causados pela doença. Segundo ele, o grande desafio foi elaborar e executar uma nova rotina completamente diferente de cuidados dentro de casa. O casal preferiu não ser identificado.

“Recebemos a notícia com bastante surpresa, o que acaba nos abalando também psicologicamente, eis que fisicamente já seguimos numa crescente melhora. Mas pra isso, precisamos mudar a rotina. Não mandamos as crianças à escola. Sou professor e comuniquei meu retorno à minha coordenação, mas não fui ministrar aulas e tenho realizado home office”, explicou.

Segundo ele, o casal estava na Europa e retornou ao Pará no dia 13 de março. Ao chegar em casa, o homem conta que a esposa começou a apresentar os sintomas da doença. Em seguida, ele contatou a Secretaria Municipal de Saúde que realizou o exame pra detectar o novo coronavírus na paciente no dia 19 de março. No entanto, o resultado foi disponibilizado apenas sete dias depois. A confirmação do caso foi divulgada na quinta-feira (26), quando o Pará somou 13 casos.

Publicidade

O homem conta também que também apresentou sintomas durante o período de quarentena. Ele disse que, apesar disso, a Secretaria de Saúde optou por não realizar teste da doença, por falta de material necessário.

“Nesse meio tempo nossa maior preocupação era com nossos filhos. Ela começou a apresentar os sintomas e eu também, mas equivalentes a uma sinusite. Não cheguei a fazer o teste em virtude de uma contenção realizada pelo município, devido a limitada quantidade de testes disponíveis”, contou.

Em relação à saúde, ele explica que ambos estão bem, apesar de ainda apresentarem sintomas leves. O período de isolamento social é de 14 dias, segundo a determinação do Ministério da Saúde. O Governo do Estado e a Prefeitura Municipal pedem que o prazo comece a contar a partir da data de confirmação da doença.

“Tanto prefeito como governador entraram pessoalmente em contato conosco e informaram que agora devemos entrar em estado de quarentena por mais 14 dias. O teste será realizado agora em mim e nas crianças. As pessoas que trabalham conosco estão sendo monitoradas e também entraram em isolamento social”, disse.

Casos de coronavírus no Pará

No Pará, 411 casos foram descartados e 97 estão em análise, segundo boletim divulgado às 19h desta quinta-feira (26). De acordo com a Sespa, três casos de contágio do Covid-19 aconteceram em solo paraense. Os outros dez casos positivos foram importados de outras regiões.

Um decreto estadual estabeleceu medidas de prevenção contra o novo coronavírus. Shoppings, bares e restaurantes estão fechados. Aulas estão suspensas. Órgãos públicos funcionam em regime de escala remota ou com atendimento reduzido. Terminais rodoviários e hidroviários já não podem mais fazer viagens interestaduais, bem como voos internacionais estão proibidos de pousar em Belém.

O governador Helder Barbalho (MDB) informou que a capacidade de testagem do Pará deve dobrar com os novos investimentos. “Novos equipamentos vão chegar ao Laboratório Central do Estado, o Lacen, que devem dobrar nossa capacidade de testagem. Já avançamos muito nos resultados. São 101 casos descartados. Também estamos procedendo com a compra dos testes rápidos”, revelou.

Fonte: G1/PA

Deixe seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar