A 34ª Reunião Interina de Chefes de Estado da CARICOM ocorreu virtualmente quarta-feira (15). Durante a reunião, os Chefes de Estado fizeram os preparativos para o planejado simpósio sobre “crime e violência na região”, que está programado para acontecer de 17 a 18 de abril de 2023 em Trinidad e Tobago. Os chefes de governo concordam que o simpósio é importante para a região e compartilham a visão de que este evento deve ter uma base ampla com abordagem científica.

Como ex-presidente da CARICOM, o presidente Chandrikapersad Santokhi presidiu a Assembléia Interina no lugar do atual presidente. Ele também compartilhou sua visão sobre o simpósio com seus colegas. A importância da cooperação no campo do crime e da violência foi enfatizada pelo chefe de estado do Suriname. “O crime e a violência ameaçam o crescimento econômico da região. Para que o simpósio seja um sucesso, é importante que nossos países vizinhos também participem; o mesmo vale para setores privados, como mídia, organizações religiosas e ONGs”, disse o presidente Santokhi.

O presidente enumerou as diversas formas de criminalidade com as quais o Suriname tem de lidar e fez a ligação entre os fatores sociais e o aumento da criminalidade. “É muito trabalho lidar com essas questões à medida que a economia desacelera, o desemprego aumenta e lidamos com as consequências da pandemia do COVID-19. Não seremos capazes de eliminar o crime e a violência, mas se conseguirmos trazê-los de volta às proporções normais, nossas economias poderão crescer”.

Durante o encontro, também foram discutidos os últimos acontecimentos no país membro, o Haiti. A ajuda de países fora da CARICOM é especialmente apreciada. Países como Canadá e Ruanda dão uma contribuição importante. Durante sua presidência da CARICOM, o Presidente Santokhi repetidamente pediu atenção especial à situação no Haiti. Com o país prestes a realizar eleições, é mais importante para a região que elas sejam conduzidas de maneira ordenada.

Comentar

Comentar