Várias pessoas decidiram visitar os cemitérios de Belém ontem, véspera do Dia de Finados, de forma a homenagear os mortos com mais tranquilidade, uma vez que a expectativa para hoje é de que os cemitérios estejam bastante movimentados.

A dona de casa Edilene Rodrigues, 54 anos, optou por visitar o túmulo do seu sobrinho, no Cemitério do Tapanã, na manhã de ontem. “Prefiro vir antes, com calma, principalmente por causa do trânsito, pois moro longe, na Terra Firme”, explica. “É um momento de paz. Então, é melhor sem tumulto”.

Publicidade

Gisele Mafra, 36, manicure, também adiantou sua visita à sepultura da família, no Cemitério São Jorge. “Vim logo pôr as velas e zelar por eles”, comenta. Aline Pinto, administradora do São Jorge, conta que, apesar de a estimativa ter sido de 25 a 30 mil visitantes para este Dia de Finados, o cemitério deve receber bem menos, cerca de 15 mil, devido ao grande fluxo de pessoas que adiantaram as visitas ao local. A secretaria do cemitério do Tapanã também tem baixas expectativas para a movimentação de hoje.

A queda no número de visitações, inclusive, tem impactado diretamente no trabalho dos vendedores de velas, flores, cruzes e outros artigos, que montam suas barracas próximas aos cemitérios. Fernanda Muniz, 24, que trabalha em frente ao Cemitério do Tapanã, afirma que o movimento este ano está pouco favorável. “Já foi muito melhor. Na semana antes do feriado sempre costumava aumentar as vendas. Mas, este ano, está tudo parado”, reclama. Ela tem esperança de que hoje a situação mude.

A dona de casa Davina Gonçalves, 75, tirou os dias que antecederam o feriado para visitar os cemitérios onde estão enterrados alguns parentes. “Cada dia vou em um cemitério. (ontem) vim aqui visitar meus irmãos e meu neto. (hoje) vou no Santa Izabel ver meu pai, irmã e esposo”, conta, no Cemitério de São Jorge.

Fonte: Dol

Comentar

Comentar