Nova ação militar terá duração de 90 dias e deve deslocar mais de 100 mil homens para o leste do país. Combates prosseguem na região separatista.

A Ucrânia lançou nesta terça-feira sua quarta onda de mobilização militar que deve envolver cerca de 50.000 homens, no momento em que as hostilidades prosseguem no leste rebelde pró-russo, deixando dois mortos entre os civis. Esta mobilização terá a duração de 90 dias e será seguida de duas outras, para atingir um total de 104.000 homens. Serão convocados todos aqueles que receberam uma formação militar – condutor de tanques de guerra, atiradores, paraquedistas, ou ainda motoristas e mecânicos – segundo indicaram as autoridades ucranianas.

Publicidade

No leste do país, a situação continua tensa nesta terça-feira. O Exército ucraniano registrou uma centena de disparos do lado rebelde contra suas posições nas últimas 24 horas. Dezenove soldados foram feridos por esses tiros, informou um porta-voz militar, Andriï Lyssenko. No reduto separatista de Donetsk, tiros regulares foram ouvidos durante toda a noite e no início da manhã, segundo relatos de jornalistas no local.

A Ucrânia lançou nesta terça-feira sua quarta onda de mobilização militar que deve envolver cerca de 50.000 homens, no momento em que as hostilidades prosseguem no leste rebelde pró-russo, deixando dois mortos entre os civis. Esta mobilização terá a duração de 90 dias e será seguida de duas outras, para atingir um total de 104.000 homens. Serão convocados todos aqueles que receberam uma formação militar – condutor de tanques de guerra, atiradores, paraquedistas, ou ainda motoristas e mecânicos – segundo indicaram as autoridades ucranianas.

No leste do país, a situação continua tensa nesta terça-feira. O Exército ucraniano registrou uma centena de disparos do lado rebelde contra suas posições nas últimas 24 horas. Dezenove soldados foram feridos por esses tiros, informou um porta-voz militar, Andriï Lyssenko. No reduto separatista de Donetsk, tiros regulares foram ouvidos durante toda a noite e no início da manhã, segundo relatos de jornalistas no local.

Histórico – O conflito armado entre os separatistas pró-russos e as forças ucranianas mataram mais de 4.800 pessoas desde abril e tem vivido um aumento da violência nos últimos dez dias. Kiev e o Ocidente acusam os russos de deslocar tropas nas regiões separatistas de Donetsk e Lugansk, embora Moscou sempre tenha negado. Segundo as últimas estimativas de Kiev, mais de 8.500 soldados russos estavam no leste da Ucrânia em meados de janeiro. Esta nova escalada da violência preocupa, após as poucas semanas de relativa calma, que anteciparam o cessar-fogo assinado em 9 de dezembro.

Deixe seu comentário abaixo.

Fonte: Veja

Comentar

Comentar