No que diz respeito à criminalidade transfronteiriça, em particular no que diz respeito ao combate do tráfico de drogas, o Presidente Desi Bouterse afirmou na Assembléia Nacional que o Suriname, como país, tem dado grandes contribuições, mas que por razões de segurança, nem sempre pode fazer declarações públicas sobre isso.

Ele indica que, por diversas vezes, grandes apreensões foram realizadas no exterior por meio de um trabalho de inteligência minucioso desenvolvido pelos serviços do Estado. Com os recursos limitados que o Suriname possui, ainda vem contribuindo positivamente na luta internacional contra as drogas. O governo, portanto, saúda a conferência da CELAC que será realizada no Suriname este mês.

De 01 de julho de 2017 a 1 de Julho de 2018, o Suriname atuou em nome da Comunidade dos Países da América Latina e das Caraíbas (CELAC), como Co-Presidente do Mecanismo de Coordenação e Cooperação nos assuntos de criminalidade relacionada ao tráfico de drogas transfronteiriço entre a região UE-CELAC e ao Parlamento de União Europeu. Devido ao seu bom desempenho como Co-Presidente, o Suriname foi convidado a sediar a 21ª reunião EU-CELAC (de alto nível) e COPOLAD em Paramaribo, de 17 a 21 de junho de 2019.

Haverá uma troca de pontos de vista com todos os outros países participantes sobre quais as medidas a tomar para combater e travar o problema de drogas. Quando se trata de controle ao tráfico de drogas o Suriname tem contribuído de maneira positiva. Além das medidas já citadas, também estão inclusas nesta contribuição o Drug Enforcement Administration (DEA), o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) e o Inter-American Drug Abuse Control Commission (Cicad).

Foto: LPM

Deixe seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar