Ministro de Relações Exteriores, Negócios Internacionais e Cooperação Internacional (BIBIS), Albert Ramdin, afirmou que Suriname se posionou contra ataques russos e a favor de resolução da ONU — Foto: Luiz Paulo

Guiana e o Suriname possuem recursos de petróleo e gás que devem ser desenvolvidos em conjunto, mas o governo Chan Santokhi está interessado também em expandir o comércio com o vizinho em vários outros setores.

A informação é do ministro das Relações Exteriores, Negócios Internacionais e Cooperação Internacional do país, Albert Ramdin, que falou à Sala de Imprensa durante recente coletiva em Paramaribo.

Publicidade

“Se você quer ter um futuro sustentável, precisa desenvolver outros setores também”, afirmou Ramdin. Ele acrescentou: “Então, igualmente, no nosso caso, trata-se de comércio, investimentos (e) é garantir que as pessoas possam se mover como na ponte (novo rio Corentyne), agricultura e turismo”.

Ao todo, Ramdin disse que os dois estados vizinhos devem desenvolver diligentemente seus setores não petrolíferos para garantir que suas economias permaneçam competitivas e robustas.

Durante visita à Guiana no ano passado, o ministro revelou que estão em andamento esforços para integrar as economias da Guiana e do Suriname em um único espaço de mercado, com a intenção de aumentar as oportunidades de negócios para os players dos dois países.

Apesar dessa evidente intenção de se concentrar no desenvolvimento não petrolífero, Ramdin admitiu que o petróleo e o gás “chamam muita atenção neste momento”. Como tal, ele reconheceu que os dois países não podem ignorar as parcerias necessárias para desenvolver esses recursos.

Comentar

Comentar