Foi dada a alargada na segunda-feira no Hospital St. Vincent, em Paramaribo, para a campanha mundial de aleitamento materno.

A campanha é realizada todos os anos de 1 a 7 de agosto no Suriname e em mais de 170 países visando incentivar a amamentação para melhorar a saúde dos bebês em todo o mundo.

Publicidade

O tema deste ano,  “Amamentação, uma chave para o desenvolvimento sustentável” foi escolhido para indicar que há uma necessidade de se considerar o valor da vida desde o nascimento, bem como chamar atenção das pessoas sobre as metas de Desenvolvimento Sustentável. O CEO do Hospital St. Vincent, Manoj Hindori, sugere que a amamentação deve começar a ser incentivada nos hospitais onde ocorrem os nascimentos, o que coloca uma responsabilidade especial sobre os hospitais.

“O aleitamento materno é a maneira mais natural de se alimentar um bebê. O leite materno é produzido pelo nosso Criador e também é de graça, o que faz dele uma grande contribuição, especialmente neste momento difícil “, disse Hindori que explicou que uma das metas de sustentabilidade é garantir uma vida saudável e um bom começo desde o nascimento.

O UNICEF e a OMS desenvolveram a iniciativa do Hospital Amigo da Criança, desde 1991 para todos os hospitais no mundo inteiro com o objetivo de incentivar a amamentação de todas as formas possíveis a partir dos hospitais que devem fornecer informações às mulheres grávidas sobre os benefícios da amamentação da mãe para os bebês após o nascimento.
Segundo o representante da (OPAS) Yitades Gebre, o aleitamento materno é a melhor maneira de dar às crianças os nutrientes de que necessitam por pelo menos 6 meses. As mães devem amamentar seus filhos mais frequentemente e até os dois anos de vida para esta criança fique protegida contra vários tipos de infecção.

“Se nós pudermos elevar os índices do aleitamento materno, poderemos prevenir cerca de 823.000 mortes entre crianças, assim como 20.000 mortes por cancro da mama. É por isso que os governos e outras organizações devem assumir a responsabilidade de colocar a criança como o mais alto padrão “, afirmou Gebre.

Patrick Pengel, Ministro da Saúde, disse durante seu discurso que como nenhum outro sabe o quão importante é uma boa amamentação para um bebê. “Eu fui bem amamentado”, brincou o ministro Pengel.

A primeira-dama Ingrid Bouterse, salientou que é particularmente importante para cada criança obter um bom começo no desenvolvimento da primeira infância através da amamentação promovendo o desenvolvimento saudável de todas as crianças fisicamente, mentalmente, socialmente, emocionalmente, cultural e espiritualmente com um pacote coerente de cuidados e serviços e que é comum no topo da agenda do governo.

A Organização Mundial da Saúde recomenda que os bebês recebam leite materno até os dois anos ou mais, associado à alimentação complementar saudável, sendo exclusivamente até o 6º mês de vida.

Deixe seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar