Publicidade

A ilha de Dominica no mar do Caribe, foi arrasada pelo furação “Maria” deixando os moradores em uma situação calamitosa. 

O National Information Institute (NII) anunciou na semana passada que o governo do Suriname enviou para a ilha remédios e itens de primeiros socorros para atender os moradores feridos durante a passagem do furação.

Publicidade

A situação na Dominica é “lamentável”, disse a ministra das Relações Exteriores, Yldiz Pollack-Beighle, que chegou de Nova York esta semana, onde falou na Assembléia Geral das Nações Unidas. Na sequência do “voo humanitário de primeira resposta ” esta semana, o governo fornecerá “suporte específico”, dependendo do que está sendo solicitado. Quando o outro está em necessidade, precisamos ajudar com o pouco que temos”, disse a ministra.

Na ilha da Dominica no Mar do Caribe, o furacão Maria provocou pelo menos catorze mortes. Depois de ter passado de categoria 4 para 5, a máxima da escala, o furacão tocou na ilha das Antilhas menores com tal violência que o primeiro-ministro disse que os habitantes “perderam tudo o que o dinheiro pode comprar e substituir”. Os ventos tiveram velocidades acima dos 250 quilômetros por hora.

O primeiro-ministro Roosevelt Skerrit, esboçou uma imagem sombria no dia 19 de setembro, um dia após o furacão. “Perdemos tudo o que pode ser comprado com dinheiro. Na ilha de Dominica, vivem cerca de setenta mil pessoas atualmente.

Foto: Facebook/AlexHuber

Deixe seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar